10:51HORÓSCOPO

por Zé da Silva

Capricórnio

Não tinha pés, mas sim duas pedras de gelo. Nos retângulos dos vidros das janelas o céu era chumbo derretido e manchado. Nuvens? Ouviu alguém rezar e imaginou as contas de um terço entre os dedos. Perdera a noção da idade, mas sabia que tinha caminhado muito. Então veio. O gosto. Pizza e guaraná. Não juntos. Ele era criança pobre que só tomava o refrigerante quando ficava doente. O rótulo estava ali na sua mente. Guaraná Champagne Antárctica. Era o motivo de ele ficar doente e o motivo de sua cura. Mas isso acontecia raramente. Ele acordava, lembrava e aí vinha a febre infernal e a atenção da mãe, porque o pai sempre trabalhando como operário. Bastava o conteúdo de uma garrafa, sorvido aos poucos, devagar, e o sol voltava a brilhar na alma. A pizza era aquela, a única, de uma noite perdida no tempo, no salão grande com uma pequena tv preto e branco pregada no alto de uma parede e onde Cauby cantou para sempre. Mussarela, massa fina, e todos ali na mesa com “roupa de sair”, apesar de o local ser a três quadras, percorridas a pé, pois nunca tiveram um carro. Ele quis os dois juntos. O guaraná e a pizza, porque pai e mãe já tinham partido faz tempo. Pensou e não conseguiu falar. Só olhar de novo para o céu cinza e sentir uma lágrima escorrer do canto do olho direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>