22:04Cinto muito

Do blog Cabeça de Pedra

Cinto muito. Cinto tudo. Cinto. Ele ganhou de um amigo. Há muitos e muitos anos. Nunca mais quis saber de outro. Pensou nisso recentemente, quando foi tirar a bermuda junto com a cueca, de uma vez, sem desafivelá-lo. Não foi muito difícil. Barrigudo, a vestimenta estava no pé da barriga, como falam os nordestinos. Ele então olhou para o cinto, de uma marca de skatistas, coisa que nunca foi e nunca será, mesmo porque chegou aos 70 anos e dá graças a Deus estar vivo. A tira de couro que era preta, perdeu a cor, ficou meio fora do prumo, pedaços das linhas do pesponto penduradas. O cinto da preferência aguentou tudo – e nunca foi tirado para bater em inimigos, apesar de ele ter vontade de fazer isso. No guarda-roupa, pendurados, vários que ele comprou neste tempo. Nunca foram usados. Achava que seria uma traição para com aquele velho companheiro. Então ele desafivelou e o tirou das garras dos passadores da bermuda. Fi com ele entre as mãos, olhando enternecido o companheiro. Saiu dali e mandou mensagens para os filhos. A ordem era para que o cinto estivesse junto na hora da cremação.

21:25Datafolha: Dilma, 52%; Aécio, 48%

Da Folha.com

Dilma tem 52% dos votos válidos e Aécio tem 48%, diz Datafolha

Pela primeira vez neste segundo turno, Dilma Rousseff (PT) aparece numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB) em intenções de voto para a Presidência da República, mostra nova pesquisa Datafolha.

O levantamento, feito nesta segunda-feira (20), apresenta Dilma com 52% ante 48% de Aécio, na conta dos votos válidos (com o descarte de nulos, brancos e indecisos).

A seis dias da eleição, é um empate técnico no limite máximo da margem de erro do levantamento, que é dois pontos para mais ou para menos.

De acordo com o Datafolha, nessa situação há maior probabilidade de que Dilma esteja à frente de Aécio.

Nas duas rodadas anteriores do Datafolha neste segundo turno, o placar também era de empate técnico, mas sempre com o tucano numericamente à frente: 51% a 49% nas duas ocasiões.

Em votos totais, o resultado da atual pesquisa é Dilma 46% (antes era 43%), Aécio 43% (era 45%). Brancos e nulos somam 5% (ante 6% do levantamento anterior). Outros 6% dizem que não sabem em quem votar, mesmo patamar de antes. Continue lendo

18:04Sem drogas

Ganha uma estadia na cracolândia de São Paulo quem mostrar uma fala dos presidenciáveis sobre o que vão fazer como política pública de combate à praga da doença da dependência química e do alcoolismo que se alastra pelo país matando usuários e inocentes.

17:16Segundo round

Severino Araújo, presidente estadual do PSB disse, em entrevista ao jornal Folha de Londrina, que o partido tem candidato a prefeitura de Curitiba. É o deputado federal eleito Luciano Ducci que se prepara para enfrentar novamente Gustavo Fruet (PDT) em 2016, que o derrotou há dois anos. Na avaliação dos socialistas, o crescente desgaste do prefeito transforma a conjuntura em algo muito mais favorável.  A conferir.

16:21A peoa

por Ayrton Baptista Junior, o Tusquinha:

A pergunta que faltou no debate dos presidenciáveis, programa que fez a preliminar do realiti xô A Fazenda, ontem na Record:

— Candidato, o senhor pegaria a Cristina Mortagua?

— Não. Nos últimos 12 anos ela caiu muito.

15:02Justiça determina afastamento de ex-delegado-geral da Polícia Civil e outros sete policiais

Do portal da rádio Banda B 

A 11ª Vara Criminal de Curitiba determinou a suspensão do ex-delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, cinco policiais civis e de dois policiais militares por envolvimento com a prática de jogo ilegal. De acordo com anúncio do Ministério Público do Paraná (MP-PR) feito nesta segunda-feira (20), a decisão acolhe requerimento formulado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Curitiba. A decisão foi feita na última sexta-feira (17).

A medida é decorrente da chamada Operação Abaité, na qual 18 pessoas foram denunciadas pelo Gaeco acusadas da prática de crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e contravenção da Lei das Contravenções Penais, relacionadas à exploração ilegal de jogos de azar em Curitiba e região metropolitana. Continue lendo

14:57Distópico

Do ombudsman

O jornal Metro deverá concorrer a algum prêmio pelo título da matéria da página 10 de sua edição de hoje: “Romance distópico traz futuro sombrio”. O criador possivelmente estava acometido de distopia sombria. Ah, sim, a reportagem trata do livro “Shopping Mail”, de Guido Viaro, neto do pintor .

14:42Pesquisa CNT mostra empate técnico entre Dilma e Aécio

Da Folha.com 

A primeira pesquisa encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) junto ao instituto MDA neste segundo turno mostra a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) empatada tecnicamente com o tucano Aécio Neves, mesmo cenário diagnosticado pelas pesquisas Datafolha e Ibope.

Na intenção de voto estimulada (quando os entrevistados são apresentados aos nomes dos candidatos), Dilma tem 45,5% contra 44,5% de Aécio. Brancos e nulos são 5,7% e não sabem ou não responderam são 4,3%.

Na intenção de voto espontânea, quando não são apresentados aos nomes, Dilma tem 43,8% e Aécio tem 42,1%. Não souberam ou não responderam somaram 8% e brancos e nulos somaram 6,1%.

Considerando apenas os votos válidos –ou seja, excluindo os nulos, brancos e indecisos–, a petista teve 50,5% da intenção de votos contra 49,5% do tucano.

É a primeira pesquisa do segundo turno em que a petista aparece numericamente a frente do candidato tucano. No último levantamento doDatafolha e Ibope, Aécio tinha 51% dos votos válidos e a presidente Dilma alcançava 49%.

Continue lendo

13:18Tombos para cima

por Ayrton Baptista Junior, o Tusquinha:

O Tombense, de Tombos, Minas Gerais, se classificou ontem para a Série C, a terceira divisão do futebol brasileiro.

Dilma Rousseff lembra que nunca antes na história deste país o time mineiro subiu tanto.

Aécio Neves frisa que o Tombense só passou de amador para profissional em 2000, durante o governo FHC.

8:10Todos soltos, todos soltos, até hoje

por Elio Gaspari

Nos debates medíocres da TV Bandeirantes e do SBT, em que Dilma Rousseff parecia disputar a Presidência com Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves parecia lutar por um novo mandato em Minas Gerais, houve um momento estimulante. Foram as saraivadas de cinco “todos soltos” desferida pela doutora.

Discutia-se a corrupção do aparelho petista e ela arrolou cinco escândalos tucanos: “Caso Sivam”, “Pasta Rosa”, “Compra de votos para a reeleição de FHC”, “Mensalão tucano mineiro” e “Compra de trens em São Paulo”. A cada um, ela perguntava onde estavam os responsáveis e respondia: “Todos soltos”. Faltou dizer: todos soltos, até hoje.

Não foi Dilma quem botou a bancada da Papuda na cadeia, foi a Justiça. Lula e o comissariado petista deram toda a solidariedade possível aos companheiros, inclusive aos que se declararam “presos políticos”. Aécio também nada tem a ver com o fato de os tucanos dos cinco escândalos estarem soltos. Eles receberam essa graça porque o Ministério Público e o Judiciário não conseguiram colocar-lhes as algemas. O tucanato deu-lhes graus variáveis de solidariedade e silêncio.

Pela linha de argumentação dos dois candidatos, é falta de educação falar dos males petistas para Dilma ou dos tucanos para Aécio. Triste conclusão: quando mencionam casos específicos, os dois têm razão. A boa notícia é que ambos prometem mudar essa escrita.

A doutora Dilma listou os cinco escândalos tucanos, todos do século passado, impunes até hoje. Vale relembrá-los.

CASO SIVAM

Em 1993 (governo Itamar Franco), escolheu-se a empresa americana Raytheon para montar um sistema de vigilância no espaço aéreo da Amazônia. Coisa de US$ 1,7 bilhão, sem concorrência. Dois anos depois (governo FHC), o “New York Times” publicou que, segundo os serviços de informações americanos, rolaram propinas no negócio. Diretores da Thomson, que perdera a disputa, diziam que a gorjeta ficara em US$ 30 milhões. Tudo poderia ser briga de concorrentes, até que um tucano grampeou um assessor de FHC e flagrou-o dizendo que o projeto precisava de uma “prensa” para andar. Relatando uma conversa com um senador, afirmou que ele sabia “quem levou dinheiro, quanto levou”.

O tucano grampeado voou para a Embaixada do Brasil no México, o grampeador migrou para o governo de São Paulo e o ministro da Aeronáutica perdeu o cargo. Só. FHC classificou o noticiário sobre o assunto como “espalhafatoso”.

PASTA ROSA

Em agosto de 1995, FHC fechou o banco Econômico. Estava quebrado e pertencia a Ângelo Calmon de Sá, um príncipe da banca e ex-ministro da Indústria e Comércio. Numa salinha do gabinete do doutor, a equipe do Banco Central que assumiu o Econômico encontrou quatro pastas, uma da quais era rosa. Nelas estava a documentação do ervanário que a banca aspergira nas eleições de 1986, 1990 e 1994. Tudo direitinho: 59 nomes de deputados, 15 de senadores e 10 de governadores, com notas fiscais, cópias de cheques e quantias. Serviço de banqueiro meticuloso. Havia um ranking com as cotações dos beneficiados e alguns ganharam breves verbetes. No caso de um deputado, registravam 43 transações, 12 com cheques.

Nos três pleitos, esse pedaço da banca deve ter queimado mais de US$ 10 milhões. A papelada tornara-se uma batata quente nas mãos da cúpula do Banco Central. De novo, foi usada numa briga de tucanos e deu-se um vazamento seletivo. Quando se percebeu que o conjunto da obra escapara ao controle, o assunto começou a ser esquecido. FHC informou que os responsáveis pela exposição pagariam na forma da lei: “Se for cargo de confiança, perdeu o cargo na hora; se for cargo administrativo, será punido administrativamente”. Para felicidade da banca, deu em nada. Continue lendo