17:34Empregos e tucanos

Em tempo de eleição, notícia assim é para deixar tucano bailando dentro do ninho. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Paraná foi o terceiro maior gerador líquido de empregos com carteira assinada entre os estados brasileiros, entre janeiro e julho de 2014, ficando atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. Todos estados sob a batuta de governadores do PSDB.

16:31JORNAL DO CÍNICO

Do Filósofo do Centro Cínico

No próximo feriado de Nossa Senhora Aparecida, o povo do Paraná vai pedir aos deputados para que sigam em romaria até o santuário de Aparecida do Norte – mas de joelhos, para pagar os pecados. As sessões poderão ser suspensas pela causa nobre.

16:17Santinhos no feriadaço

A Assembleia Legislativa do Paraná não vai ter sessões na semana que vem. Por causa do feriado curitibano de segunda-feira, dia da padroeira de Curitiba. Os deputados vão aproveitar a deixa para distribuir mais santinhos – de campanha, o que não deixa de ser uma contradição.

15:49Pequenas lembranças de Sergio Rodrigues

Sergio Rodrigues vinha sempre a Curitiba. Quem vai ao Teatro Paiol senta numa obra dele. Quem quiser comprar uma de suas preciosidades, paga caro. O signatário, por enquanto, se contenta com o “Mocho”, banquinho que ele desenhou em 1954. Sergio era filho de Roberto Rodrigues, morto a tiros na redação do jornal “A Manhã”, por uma jornalista que se sentiu ultrajada por reportagem que insinuava sua traição a um bacana do Rio de Janeiro. Ela queria matar o dono do jornal, Mario Rodrigues, também pai de Nelson Rodrigues e Mario Filho. Roberto era um desenhista genial. Morreu aos 27 anos. Em conversa com o signatário, Sergio Rodrigues disse que praticamente não o conheceu. Ficou o talento para desenhar móveis e casas, sempre utilizando a madeira.

14:26Roleta russa

Do blog Cabeça de Pedra

Fizeram todos os cálculos, transmitiram as informações e o canhão foi disparado. Horas depois, quando o exercício tinha terminado, os que atiraram foram ao local onde os projéteis caíram e explodiram. Ele então sentiu, ali, no campo de treinamento, o horror de todas as guerras ao ver os estilhaços que voaram em todas as direções. Um pequena agulha da bala vararia qualquer crânio. Placas como as que encontrou, então, arrancariam a cabeça inteira. Depois soube que cada tiro custara uma fortuna aos cofres públicos. Desde então, toda vez que vê cenas de guerra na televisão, seu estômago se convulsiona e ele vai vomitar e chorar ao mesmo tempo no banheiro. Os discursos justificando a barbárie potencializam tal reação. Numa  das mais recentes, começou a entender um pouco os motivos que faziam o escritor Graham Greene praticar a roleta russa durante boa parte da vida sem explicação aparente e o horror que pirou o coronel Kurtz em Apocalypse Now.

13:30JORNAL DO CÍNICO

Do Filósofo do Centro Cínico

Povo só pensa coisa ruim. O saco de dinheiro que estava no avião que caiu no Bacacheria era para comprar angu no Norte do Estado. O problema é que, com o acidente, sobrou só o caroço para ser explicado.

12:46No aniversário

de Dalton Trevisan

Parentes e convidados rompem no parabéns pra você. De pé na cadeira, a aniversariante ergue os bracinhos:

— Pára. Pára. Pára.

Na mesa um feixe luminoso estraga o efeito das cinco velinhas.

— Mãe, apaga o sol.

11:53Dúvida

Amigo do blog viu a seguinte manchete no site da prefeitura: “Imóveis entregues pela Cohab têm qualidade igual à dos vendidos no mercado”. Ficou com uma dúvida: “Isso é bom ou é ruim?” 

11:43Sergio Rodrigues, adeus

da Folha.com

Morre no rio o designer Sergio Rodrigues, aos 86 anos

Um dos principais responsáveis por tornar o design brasileiro conhecido internacionalmente, o arquiteto e designer carioca Sergio Rodrigues morreu na manhã desta segunda (1).

Rodrigues morreu em seu apartamento em Botafogo, na zona sul do Rio, onde morava com a mulher, Vera Beatriz. Tinha 86 anos.

A causa da morte ainda não foi confirmada.

Nascido em 1927, Sergio era neto do jornalista Mário Rodrigues, criador do jornal “A Crítica”, sobrinho do dramaturgo Nelson Rodrigues e do jornalista Mario Filho e filho do artista plástico e ilustrador Roberto Rodrigues, assassinado na redação de “A Crítica” com um tiro que era para o pai de Roberto, avô de Sergio.

Começou sua carreira como arquiteto, quando participou do projeto do Centro Cívico de Curitiba, obra importante da arquitetura moderna brasileira. Trabalhou ao lado de David Azambuja, Flávio Regis do Nascimento e Olavo Redig de Campos.

Mas Rodrigues acreditava que a arquitetura deveria contemplar também o planejamento do espaço interno, e assim passou da arquitetura para o design.

Sua criação mais célebre foi a poltrona Mole (1957), considerada um clássico do design brasileiro, premiada na Bienal de Cantu, na Itália, em 1961, e parte da coleção permanente do MoMA, em Nova York.

“Eu diria que a minha procura era por matérias que caracterizam a brasilidade. As madeiras nobres, a palhinha, que vem da Índia, mas que depois passa pela Europa. Acho que ficou alguma coisa característica”, disse o designer em entrevista à revista “Serafina”, em 2008. “A Mole, por exemplo, segundo o Odilon Coutinho, tem muito de brasileiro. Não só a estrutura, não só o almofadão, não só as correias, como se fossem uns catres. Mas também algo como que vindo da senzala, a luxúria, pela maneira que o pessoal se jogava, a informalidade. Antes da Mole não tinha nada assim no Brasil.”

O arquiteto Lúcio Costa via em seus móveis um resgate do espírito da mobília tradicional e influências indígenas.

“Suas cadeiras romperam com o sentar bem-comportado e anteciparam as demandas pela informalidade dos interiores dos jovens de classe média intelectualizada nos anos 1980, quando os almofadões se espalhavam pelo chão”, escreveu a crítica de design Adélia Borges no livro sobre Rodrigues publicado pela coleção Arquitetura e Design, editada pela Viana & Mosley.

O corpo de Rodrigues será velado na próxima quarta (3) de 9 às 14h no Memorial do Carmo, no Caju, região central do Rio.

11:27Mais duas pesquisas

Vem mais pesquisa aí! O Ibope registrou no TRE/PR o levantamento que fará até quinta-feira. Vai ouvir as intenções de votos de 1008 eleitores para o Senado e governo do Estado. O Instituto Visão também. Serão 1057 entrevistados. A conferir.