12:07Rafael, Álvaro e Hamlet

De Rogério Distéfano, no blogO Insulto Diário

Ao mudar tantas vezes de partido, o prefeito Rafael Greca revela que tem mais coisas em comum com o senador Álvaro Dias do que “sonhávamos em nossa vã sabedoria”.

A “vã sabedoria” vem de Shakespeare, dita pelo bibliotecário, de saco cheio, quando o príncipe Hamlet revira olhos e mãos e declama o “ser ou não ser, eis a questão”.

É o caso dos três. A diferença está em que o príncipe inglês morreu sem saber o que era. Quanto a nossos príncipes, eles sabem e a gente também sabe o que são.

12:05Boca Aberta vai a nocaute

Hoje, em Londrina, durante a 14ª Conferência Municipal de Saúde, o deputado federal Boca Aberta (PROS) foi provocar o vereador Amauri Cardoso (PSDB), depois que este fez um discurso condenando a atitude dele em filmar um médico num posto de saúde. O atrito terminou do lado de fora do evento, com um murro no nariz do Boca, que foi tirar satisfação com o vereador. Expressionante! Confiram:

11:40As chuteiras, a pátria e o cofre

O chapa Carneiro Neto afirma, em coluna da Gazetona, que a seleção brasileira não é mais “a pátria de chuteiras”. Primeiro, faz um tempo que há uma dificuldade de se identificar o Bananão como alguma coisa parecida com pátria. Finalmente, como o que se tem visto no chamado escrete, composto de jogadores que atuam no exterior, é apenas e tão somente um cofre de chuteiras, nada mais.

8:418 a 0

No dia em que Greca abraçou e foi para o partido de ACM Neto, o deputado federal Gustavo Fruet mandou o terceiro tiro em cima da administração do prefeito, na estratégia anunciada de comparar as duas administrações. Ontem ele publicou no Facebook que entregou 8 novos parques à população de Curitiba nos anos de 2013 a 1016 – e que o atual prefeito não saiu o zero.

8:32360 graus

Um sábio com memória disse que a ida do prefeito Rafael Greca ao DEM completa um giro de 360 graus na trajetória política do alcaide. E mostrou:

Arena (1976 a 1982)
PDS (1982-1983)
PDT (1983-1997)
PFL (1997-2003)
PMDB (2003-2015)
PMN ( 2015- 2019)

DEM (2019)

8:02Para Paulo entender Olavo

por Demétrio Magnoli

A ‘revolução’ do guru fuzilaria os liberais junto com os comunistas, se pudesse

“Por que o líder dispara contra a revolução que inspirou?”, perguntou um inconformado Paulo Guedes a Olavo de Carvalho no jantar em homenagem a Bolsonaro, em Washington. Na véspera, o Bruxo da Virgínia atirara um petardo contra Hamilton Mourão, responsabilizando-o pela virtual dissolução do governo no horizonte de seis meses. Paulo merece resposta. Ofereço-lhe duas, complementares.

A primeira: a “revolução” de Olavo não é a de Paulo, e uma conflita com a outra.

Paulo acalenta a doutrina do liberalismo econômico radical: o Estado Mínimo. Já Olavo interessa-se apenas marginalmente por economia. A “revolução” dele também é um retorno, mas não ao Estado liberal do século 19 e sim a um passado mítico de soberanias estatais absolutas, hierarquias patriarcais fundadas na tradição e respeito às “liberdades naturais” do colono armado. Numa síntese rápida, a fusão do conservadorismo romântico europeu com o nativismo individualista americano.

Olavo não é original. Logo após a Primeira Guerra Mundial, Oswald Spengler anunciou o “declínio do Ocidente”, fruto de um longo envenenamento cultural provocado pelas bactérias do Iluminismo. Do nacionalismo conservador e autoritário spengleriano nasceu essa contrafação pós-moderna: o mingau “filosófico” servido pelo Bruxo da Virgínia e, de modo geral, pela alt-right (direita nacionalista) americana. Paulo talvez não se interesse por esse labirinto ideológico, mas deveria prestar atenção à sua implicação.

A alt-right difunde a tese de que os “liberais globalistas” estão associados aos “marxistas” numa conspiração mundial contra os povos. Nessa aliança fantasiosa, Paulo figura no primeiro grupo. A “revolução” de Olavo fuzilaria os liberais junto com os comunistas, se pudesse.

No dia seguinte ao célebre jantar, Bolsonaro prostrou-se aos pés de Trump. Cito, com autorização, a incisão cirúrgica realizada pelo embaixador Marcos Azambuja num debate fechado: “O produto que Bolsonaro tentou vender não tem demanda na Casa Branca. Trump despreza os que o bajulam; ele gosta de Putin e Kim Jong-un, que o confrontam.” Acrescento: a “revolução” de Olavo é uma ideia fora de lugar, a importação de um discurso populista estranho aos dilemas brasileiros.

A segunda resposta: a “revolução” de Olavo é uma “revolução permanente”, uma guerra sem fim contra moinhos de vento.

O Bruxo da Virgínia precisa conservar seu estatuto de bruxo —ou seja, a condição de guru de uma seita. Para reter a lealdade total de seus seguidores, deve evitar que eles sejam contaminados pelos intercâmbios de interesses e conciliações políticas inerentes a qualquer governo. Por meio da “revolução permanente”, o líder impede que seus liderados cedam à tentação de oscilar entre os comandos de dois senhores.

Olavo não é tonto como seus “alunos” que colonizam o Itamaraty e o MEC. Ele sabe que clama por uma utopia: a volta dos ponteiros da História a uma Idade de Ouro imaginária. Sabe, portanto, que qualquer governo está destinado ao fracasso, se a medida do sucesso for a régua maximalista da sua utopia. O líder que não pretende ser desmascarado pela inevitável falência de sua “revolução” precisa identificar e denunciar, previamente, os traidores da causa. Daí, o recurso à “revolução permanente”: o líder dispara contra a revolução que inspirou.

A consequência da “revolução permanente” é a perene ingovernabilidade. Sacudido por crônicas guerras intestinas, o governo carece da coesão, da autoridade e da força persuasiva para formar maiorias parlamentares sólidas. O projeto da reforma previdenciária, ato inaugural da “revolução” de Paulo, corre o risco de ser tragado no vórtice da “revolução” de Olavo.

Há algo mais. Entre os “alunos” do Bruxo da Virgínia, contam-se ao menos dois dos filhos do presidente. A “revolução” de Olavo é a de Jair. Anote isso, Paulo.

*Publicado na Folha de S.Paulo

19:43Caso de hospício

Michel Temer andava abatido, até meio deprimido, antes da prisão. Sentia-se injustiçado pelo não reconhecimento do povo, da imprensa e até do novo governo quanto às suas realizações como presidente. Isso não é caso de prisão. É caso de hospício…. (Rogério Distéfano)

19:05Manifesto contra prisão tem apoio até de advogados anti-Temer

por Mônica Bergamo, na FSP

Um manifesto contra prisão do ex-presidente Michel Temer tem o apoio de advogados que se posicionaram contra o impeachment e contra o governo Temer.

Até o momento, o documento foi assinado por 65 nomes como o ex-ministro José Eduardo Cardozo, Pedro Serrano, Marco Aurélio de Carvalho e Carol Proner.

O texto é encabeçado pelo jurista Celso Antonio Bandeira de Mello.

Entre outra coisas eles afirmam que a prisão de Temer “despertou, mesmo em seus adversários políticos, como muitos dos subscritores deste documento, a certeza de que é necessária a cessação do uso da lei para fins políticos, com o fito de manipular a opinião pública”.

Continue lendo

17:59O que vem por aí na Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa do Paraná divulgou ontem que no início do mês foi entregue ao presidente Ademar Traiano e a Luiz Claudio Romanelli, primeiro secretário, um estudo realizado pela XYZ Estratégia e uma pesquisa feita pela Netquest (Serviços de Pesquisa e Painel On Line) onde revela que ela é uma das poucas no país que não faz comunicação corporativa, ao mesmo tempo em que a maioria dos paranaenses (82,2%) tem interesse em conhecer melhor o Legislativo e 76% o considera importante. Comunicação corporativa é, em resumo, publicidade. O catatau foi encomendado pela AERP (Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná) e apoio de entidades que congregam todos os veículos de comunicação do estado. Já há um grupo de trabalho preparando a implantação que acontece até meados do ano, pois isso já foi determinado. Sim, haverá licitação para a contratação de agência de publicidade para o trabalho cujo conteúdo será decidido pela própria Assembleia. Como a ideia é desvincular personagens e enroscos que estão colocados na história da Casa, o edital, por exemplo, está sendo estudado a partir do que já foi feito em outros estados, para evitar o lé com cré negativo. A conferir.

17:26Delação de Temer pode incriminar Caim

por Renato Terra

… Investigadores descobriram também que Temer já fez 4.887.549.990 depósitos de R$ 2 mil em 666 caixas eletrônicos.

As primeiras novidades da delação premiada de Temer começaram a pipocar. De acordo com seu relato, Caim não foi preso até hoje. “Eu tenho provas para incriminá-lo”, disse.

“Além disso, era vizinho dos primeiros descendentes de Bolsonaro. Mas isso é apenas uma coincidência. Eu lavo as minhas mãozinhas de fada”, ressaltou.

O ex-vice-presidente afirmou ter testemunhado as pedaladas fiscais de Tutancâmon. “Houve muita propina na construção dos Jardins Suspensos da Babilônia. Tiradentes não conseguiu contatar Gilmar Mendes a tempo, senão teria escapado. Isso sem falar nos pedalinhos de Alexandre, o Grande. Tudo isso eu posso provar com pergaminhos e hologramas”.

O ex-presidente afirmou que possui documentos capazes de desfazer uma das maiores injustiças cometidas contra um ser humano em toda a história da humanidade. “Eu conheci Judas pessoalmente, era um cidadão de bem. Entendo as razões dele: Verba volant, scripta manent. O que ele fez ali qualquer um faria”. Continue lendo

17:12Diplomas válidos

A quem interessar, a Assembleia Legislativa do Paraná derrubou o veto do Poder Executivo ao projeto de lei que dispõe sobre a admissão e o reconhecimento de diplomas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) emitidos nos países do Mercosul e em Portugal, de autoria dos deputados Alexandre Curi (PSB) e Luiz Cláudio Romanelli (PSB).