19:17A moeda de troca

O melhor da reforma da previdência é saber qual parte dela foi colocada só para servir ao  apetite dos picaretas do Congresso – e o resto seja aprovado. Se alguém pensa na questão dos servidores públicos, pode estar perto de gritar bingo. A conferir.

18:22Lixo verde

Do enviado especial

Ao que tudo indica a Prefeitura de Curitiba está enfrentando problemas com a coleta do lixo verde. Em várias áreas da cidade, como nas ruas do bairro Ahú, o lixo verde está amontoado desde o início do ano e os pedidos dos moradores ao 195 para coleta não dão resultado. Como chove quase todos os dias é imenso o volume de galhos e folhas amontoados em todas as esquinas. O zelador da cidade, como gosta de ser chamado o prefeito Rafael Greca, deve circular um pouco mais pelas ruas.

15:06O brasileiro

por Nelson Rodrigues

- O brasileiro quando não é canalha na véspera, é canalha no dia seguinte.

- O brasileiro não está preparado para ser o maior do mundo em coisa nenhuma. Ser o maior do mundo em qualquer coisa, mesmo em cuspe à distância, implica uma grave, pesada e sufocante responsabilidade.

14:59De Manchinha@auau para Todo Mundo

por Elio Gaspari

Sou a cadela Manchinha, que um segurança de supermercado matou em Osasco, em dezembro passado. Fiquei comovida com a comoção criada pelo meu caso e sugeri que vocês continuassem a reclamar quando os bichos fossem maltratados, mas pedi que cuidassem melhor dos bípedes. Escrevi o seguinte:

“Vira e mexe, vocês leem que agentes da segurança pública entraram em bairros de pessoas pobres, confrontaram-se com bandidos e mataram ‘suspeitos’. Nossa inteligência canina não entende o que seria um ‘suspeito’. De quê? Em casos extremos, dois ‘suspeitos’ de portar armas foram abatidos. Um carregava uma furadeira e o outro, um guarda-chuva.”

Outro dia, a PM do Rio matou 13 pessoas (“suspeitos”, claro) e o governador Wilson Witzel disse que foi “uma ação legítima da polícia para combater narcoterroristas“. Palavra de cachorro não vale nada, mas meus pares que andam pelo morros do Rio argumentaram que, mesmo que estivessem metidos com drogas, não é assim que funciona a Justiça dos bípedes. Quadrúpedes, vocês sabem, só atacam quando estão com fome, mas vocês nos chamam de irracionais.

Irracionais são vocês. Vejam o caso do garoto Pedro Henrique Gonzaga. Era consumidor de drogas, mas acho que o doutor Witzel não o chamaria de “narcoterrorista”. Teve um surto e encrencou-se com um segurança do supermercado Extra. Tomou um mata-leão e foi estrangulado durante quatro minutos, diante de dezenas de pessoas e de pelo menos outro segurança. Sua mãe pedia para que saísse de cima do rapaz, pois ele estava dominado e tomou um “cala a boca, puta”. Pedro Henrique morreu.

O segurança que me espancou talvez não quisesse me matar. Além disso, a cena da violência que sofri foi muito mais rápida. O bípede que estrangulou Pedro Henrique e chamou a mãe dele de “puta” teve impávida assistência. Garanto que se ele estivesse fazendo a mesma coisa com um cachorro a reação da plateia seria mais solidária. Se a PM tivesse matado 13 mastins, talvez o governador Witzel fosse mais caridoso.

Os doutores do Extra disseram que “uma investigação interna constatou de forma inicial que se tratou de uma reação a uma tentativa de furto a arma de fogo de um dos seguranças”. Patranha. Isso teria acontecido depois do início do incidente, quando Pedro Henrique já estava no chão. A repórter Ana Carolina Raimundi mostrou que a polícia ainda não comprou essa história.

Ela mostrou mais: o segurança Davi Amancio era um condenado da Justiça. Tendo espancado uma companheira, em 2017, foi sentenciado a três meses de prisão em regime aberto. Um advogado da Group Protection, empresa terceirizada para garantir a segurança do supermercado, disse que a atribuição de checar a ficha criminal dos seguranças é da Polícia Federal. Tudo bem, e nós os quadrúpedes é que somos irracionais.

Daqui do meu canil fiquei sabendo que o ministro Sergio Moro brindou os brasileiros com um pacote de medidas contra o crime. Tomara que dê certo, mas a cachorrada sabe que os bípedes latem à maneira deles e que ministro não morde.

No parque onde nós passeamos, vem com frequência um senhor meio rabugento, sempre vestido num terno preto. Dizem que é advogado e se chama Sobral Pinto. Durante o Estado Novo ele pediu que um preso político tivesse seus direitos respeitados de acordo com a lei de proteção aos animais.

Vai aqui um pedido ao ministro Moro. Amplie o seu pacote anticrime com um dispositivo:

“Ficam estendidos aos bípedes os direitos que a lei confere aos animais.”

Grrrrrrr

Manchinha

*Publicado na Folha de S.Paulo

14:53Fruet e Fruet

O deputado federal Gustavo Fruet (PDT) telefonou para o deputado estadual Soldado Fruet (PROS). Ficou sabendo que o pai do parlamentar de Foz do Iguaçu disse que era parente de Mauricio Fruet, pai de Gustavo. Um primo. Distante.

14:33TC aponta e Maringá cancela licitação de quase R$ 4 milhões

O Tribunal de Contas do Paraná informa:

Após apontamento do TCE-PR, Prefeitura de Maringá revoga edital de licitação 

Fiscalização preventiva do Tribunal indicou que a modalidade de registro de preços, que havia sido adotada pela administração municipal no certame, não é apropriada para a contratação de obras 

A fiscalização preventiva realizada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) levou o Município de Maringá a revogar o Edital de Concorrência nº 2/2019. A licitação, que previa o valor máximo de R$ 3.828.530,73, tinha como objetivo a contratação, por 12 meses, de empresa para a realização de serviços de manutenção de diversos bens públicos municipais, como ruas, calçadas e galerias pluviais.

Ao analisar o edital, a Coordenadoria de Acompanhamento de Atos de Gestão (CAGE), unidade técnica do TCE-PR responsável pela fiscalização preventiva das ações praticadas pelos administradores públicos paranaenses, constatou que a modalidade registro de preços, adotada para o procedimento licitatório em questão, não é apropriada para a contratação de obras. Continue lendo

14:24Sem curto circuito e falta de atendimento

Da assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba:

Não é verdadeira a informação de que Curitiba “decidiu parar de atender pacientes de todo o Paraná que precisam de consultas especializadas pelo SUS e descartou a possibilidade de renegociação com o Estado”.
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba segue prestando atendimentos à população dos municípios do Paraná, de acordo com o que determina o Plano Diretor de Regionalização do Estado do Paraná (PDR). Além disso, as especialidades que só existem em Curitiba estão abertas para todo o Estado.
Em janeiro, foram realizadas 12.780 consultas especializadas na capital para pacientes de 327 municípios do interior. Em fevereiro, até o momento, já são 13.804 consultas especializadas realizadas em Curitiba para pacientes de 324 municípios do Paraná.
Além disso, a SMS permanece em constante diálogo com o governo estadual. A SMS apresentou ao governo do estado o aumento de demanda de pacientes do interior, acima do pactuado, o que compromete financeiramente o município de Curitiba.
No ano passado, das 166,1 mil internações realizadas em hospitais de Curitiba, 64, 6 mil (39%) foram para pacientes que não residem em Curitiba. Também em 2018, 47% dos atendimentos de alta complexidade realizados em serviços de saúde de Curitiba foram para pacientes de outras cidades.

12:40No forno

Do enviado especial:

Já circulou a lista dos ex-deputados que não se reelegeram e foram nomeados no governo do estado. Está no forno agora a lista dos parentes dos parlamentares que receberam cargos comissionados – e assim por diante.

12:02JORNAL DO CÍNICO

Do Filósofo do Centro Cínico

O deputado federal Alexandre Frota aparece com destaque na foto que registra o momento em que o presidente Bolsonaro entregou o projeto da Reforma da Presidência para o deputado federal Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Frota ainda tem uma dúvida sobre as novas regras: não sabe se o tempo em que atuou como ator de filmes pornográficos conta em dobro ou triplo para a aposentadoria. Já foi informado que o desempenho será estudado por uma comissão especial do INSS – e esta foi orientada a balizar o parecer pelo tamanho do documento.