10:19Desmentido

Osmar Dias desmentiu que vá se aliar ao PT de Gleisi Hoffmann. Não precisava, mesmo porque não vai adiantar nada. O apoio que recebeu no passado é como aqueles casamentos que terminam, mas são para sempre.

10:05ESSE ÁLVARO…

O senador Álvaro Dias (PA, partido do Álvaro) dá entrevista à rádio Jovem Pan e se declara candidato do centro. Centro, assim, sem mais, nem do centro-direita, nem do centro-esquerda. Bem Álvaro, primeiro porque não explica direito as coisas, nunca se sabe se ele não sabe ou sabe que não interessa saber. Segundo, ele nem precisava dizer que é do centro – observem, do não de centro. É que Álvaro sempre foi do centro. Do centro do umbigo dele. (Rogério Distéfano)

8:38Discordância

A Gazetona do fim de semana abre espaço para a Nova Lei de Zoneamento que a prefeitura deve encaminhar em breve para a Câmara Municipal de Curitiba. A beleza da chamada de capa é o seguinte: “Prefeitura e entidades do setor privado não concordam em todos os pontos”.

8:31Espetáculo do absurdo

Foi-se o tempo em que a polícia carioca subia o morro para caçar bandido – e caçava. Agora acontece este espetáculo absurdo de tropas do Exército cercarem a Rocinha enquanto duas facções guerreiam para comandar o tráfico. Mais: qualquer reco sabe que não foi treinado para este tipo de missão, que nem os policiais militares e civis conseguem direito. No dia em que um soldado levar bala, vão descobrir que a farda verde-oliva não é blindada. E aí, o que vai acontecer? Vão bombardear de cima a favela, onde 99% dos moradores são trabalhadores honestos?

8:24BANDIDO É BANDIDO, POLÍCIA É POLÍCIA?

O ministro da Defesa autoriza o deslocamento de 950 soldados para bloquear os acessos da Favela da Rocinha, no Rio, disputada entre traficantes. O menor dos grandes problemas no Rio são os traficantes, mero detalhe no grande quadro do Estado. Enquanto não forem bloqueados os acessos ao palácio do governo, à assembleia legislativa e ao tribunal de contas do Rio de Janeiro – além da CBF, o COB e outros comitês esportivos que desviam dinheiro – ações militares contra os traficantes são paliativas, abusivas e discriminatórias.

A criminalidade atinge níveis como os do Rio de Janeiro em grande parte porque os poderes constituídos e seus integrantes – de cima a baixo na escala hierárquica – também cometem crimes. Lembremos que Sérgio Cabral, ex-governador reeleito cumpre pena de 45 anos de prisão e seu sucessor, vice por dois mandatos e por ele eleito, está com o próprio mandato sub judice na justiça eleitoral.

Na escalada de violência do Rio há essa componente de anomia, quando a ordem e a lei deixam de ser referenciais de comportamento. Hélio Luz, chefe de polícia do Rio entre 1995 e 1997, disse uma vez que a criminalidade se alimenta no mau exemplo das autoridades, que o bandido, como a criança, precisa do exemplo de quem está acima, o Estado e os pais.

Já faz parte do folclore policial o episódio do criminoso carioca que, quando abordado pelo policial que oferecia colaboração, não só recusou como saiu com a frase hoje clássica: “Bandido é bandido, polícia é polícia”. No Rio – que difere do resto do Brasil, não excluída, Brasília, apenas na escala – o traço ‘ético’ do bandido carioca perdeu o sentido, os personagens se confundem. Vide a Operação Lava Jato e outras tantas, tantas que já buscam na mitologia e na história os rótulos de identificação. (Rogério Distéfano)

18:04JAMIL SNEGE

Eu tenho uma dificuldade intrínseca de existir no mundo (…) dada a fragmentação com que vivemos nossas vidas. Somos todos pequenos atores de pequenas aventuras absolutamente irrelevantes. Já não existem grandes revoluções, grandes aventureiros, grandes estadistas. Nossa vida se inscreve hoje nesse gigantesco bric-à-brac do cotidiano. A grande autobiografia, hoje, seria aquela que desse conta da crescente mediocrização a que estamos sujeitos, seja através do embotamento do espírito crítico, da razão ou dos próprios sentimentos.

17:57Sobre história das religiões

A Paraná Pesquisas perguntou a 2.714 brasileiros nos dias 06 a 10 de setembro: “O Sr(a) é a favor ou contra a implantação do ensino da história das religiões na educação básica no Brasil?”.

As respostas: a favor; 63,3%; contra, 30,2%; não sabe/ não opinou, 6,5%

17:42JORNAL DO CÍNICO

Do Filósofo do Centro Cínico

O PT suspendeu Antonio Palocci por 60 dias. Pelo que ele entregou de Lula, parece que os companheiros do partido só o expulsariam se ele mesmo colocasse o líder na cadeia e com prisão perpétua decretada.

17:22Será?

Do Goela de Ouro

A Valor foi criada em 2010 para realizar obras para a Sanepar, substituindo a ECG, do mesmo Eduardo Souza Lopes. Os contratos vigentes duravam até 2012. Já Mauricio Fanini, que caiu junto na Operação Quadro Negro do Gaeco, foi integrante do conselho de administração da Sanepar de novembro de 2011 a abril de 2014. Será que foi lá que começou as ligações perigosas?

17:09Requião e a relação com o empreiteiro delator

O jornalista Fabio Campana, que foi secretário de Comunicação de Roberto Requião e hoje é inimigo do senador, informa em nota no seu blog (ver abaixo) que o empreiteiro Eduardo Lopes de Souza, dono da Construtora Valor que recentemente fez delação premiada no caso do desvio de dinheiro de escolas cujas obras não foram concluídas, é velho conhecido do ex-governador – tanto que ele o chama de Dudu. Também revela que Souza iniciou nas artes e manhas de relacionamento com política através do tio, Hélio Célio Batista Lopes, escudeiro de Requião, e que chegou a fazer obras para a Sanepar num dos mandatos de Requião. Campana informa também que o empreiteiro esteve com Requião quando a casa caiu e se viu pressionado pelas denúncias. Na nota também é citado o assessor Luiz Fernando Delazari, ex-secretário de Segurança que já foi do Ministério Público estadual e sabe o caminho das pedras para este tipo de problema. O tiro é de chumbo grosso. A conferir: Continue lendo

16:22O PT e Osmar Dias

Os inimigos que espalham que o PT de Gleisi Hoffmann quer reatar com o PDT de Osmar Dias, candidato ao governo do Paraná, não precisam fazer essa maldade agora. Na campanha, mesmo que fiquem a anos luz de distância, haverá fotos de sobra das eleições anteriores onde o ex-senador está cercado de companheiros. Este, aliás, vai ser o maior nó que ele terá de desatar para ter chance de ganhar a parada. Isso é política!