17:30Ladrão é ladrão, juiz é juiz

Parece piada, mas a Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) divulgou nota oficial afirmando o seguinte para defender o pagamento do auxílio-moradia, essa excrescência: “Os juízes mineiros não desviaram recursos públicos, não receberam propinas nem participaram de esquemas espúrios para enganar o cidadão. O benefício pago há quatro anos, insistimos, não pode ser confundido com desvios, corrupção”,  diz o desembargador Maurício Soares, presidente da associação. Ora, quem está querendo confundir as coisas é a turma da capa preta. O desembargador poderia explicar, por exemplo, porque até o advento do Mensalão e, principalmente, da Lava Jato, parecia que o país era imune à corrupção dos poderosos, com a Justiça olhando tudo e zelando para que tudo continuasse do jeito que sempre foi, ou seja, uma podridão sem fim. Ladrão é ladrão e juiz é juiz. Roubo do dinheiro público é uma coisa, se beneficiar de uma verba absurda baseada no fato de um magistrado mora em algum lugar, mesmo que o teto seja dele, é um tapa na cara de quem rala para pagar impostos e sustentar essa farra.

 

Uma ideia sobre “Ladrão é ladrão, juiz é juiz

  1. Sergio Silvestre

    A justiça em MIENAS funciona que é uma maravulha,tanto que temos lá as familias Andrada,Neves,Perrelas ,Anastasias Cardoso todas soltas e ricas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>