6:27A gente capota, mas não freia

Com duas semanas de governo, é difícil separar os erros típicos de um começo de administração, que tendem a reduzir-se à medida que seus integrantes evoluem na curva de aprendizagem, da incompetência intrínseca da gestão, que é alta e tem um caráter mais permanente. Mas nada disso tem muita importância prática.

Por dever, jornalistas acompanhamos com lupa as ruidosas movimentações iniciais do governo e delas tentamos extrair sinais. Alguns são inequívocos. Onyx Lorenzoni, por exemplo, ao promover uma paralisante exoneração em massa de quadros de seu ministério, deixou claro que não está familiarizado com o básico da administração, o que é complicado para quem ocupa a pasta da Casa Civil, responsável por tocar o dia a dia do governo.

O próprio Jair Bolsonaro já deu mostras de que é figura de relevo no núcleo dos despreparados. Sua ignorância em relação àquilo que assina indica que ele não tem muita ideia do que está fazendo.

Não são, contudo, esses primeiros tropeços, pouco importando sua etiologia, que caracterizarão a gestão. Jair Bolsonaro só foi eleito porque Dilma Rousseff promoveu uma das maiores ruínas econômicas da história do país. Sua administração será, portanto, avaliada pelos resultados econômicos que vier a produzir.

A melhor chance de o governo Bolsonaro dar certo é o presidente escolher duas ou três áreas menos estratégicas para transformar num parque de diversões ideológico, dando assim satisfações à sua base
—neopopulistas como ele nunca descem do palanque—, e conformar-se com o papel da rainha da Inglaterra na economia, contendo seus instintos corporativo-estatistas para não atrapalhar muito.

Sem uma reforma convincente da Previdência, o mercado transformará rapidamente toda a confiança que depositou em Bolsonaro em inflação, comprometendo talvez irremediavelmente a gestão e todas as suas bandeiras ideológicas.

*Publicado na Folha de S.Paulo

Uma ideia sobre “A gente capota, mas não freia

  1. Ademar Luiz Vieira

    Depois de 16 anos de corrupção implantados na República, fica difícil arrumar em apenas duas semanas.
    Com toda certeza haverá mais derrapagens mais tombamentos mas, haverá a vontade de por esse nosso Brasil nos eixos da civilização democrática e com ordem e progresso.
    Como dizia a vózinha . Os cachorros latem e a caravana passa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>