10:21Oberlan Rossetim

Entendi o motivo de o sino àquela hora tocar
É Você que neste raio santo de cores proféticas está agora para mim a dançar
O Silêncio do monge
O Ouro que surge à vista
Teus movimentos são Fogo
Seus afluentes são o Povo
Antiquíssimo
Novo!
Você, que está no azul das borboletas do Panamá
Incendeia o menino aqui no Paraná
A majestade da águia veloz e bonita
Capaz de arrancar aplausos de toda a Humanidade
É pífia diante da sacra visão do Bardo-pepita,
Ainda em tenra idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>