11:37Alegria que dura pouco

por Paulo Ferraz

Os argentinos invadiram as praias do sul do Brasil neste início de ano vibrando com a desvalorização da nossa moeda. Mas a alegria dos hermanos dura pouco quando chegam a Santa Catarina. Laudos do órgão ambiental do Estado vizinho consideraram 1/3 das principais praias de Itapoá a Bombinhas impróprias para banho. Em Florianópolis a situação é pior pois Canasvieira, tradicional territóio argentino no verão, teve toda a faixa de mar condenada. Mas não foi só: junto veio uma epidemia de virose que lotou os hospitais, águas vivas invadiram as praias e os escorpiões têm aparecido em bando em alguns locais.

4 ideias sobre “Alegria que dura pouco

  1. Ivan Schmidt

    É o reflexo tardio (com ou sem argentinos) da especulação imobiliária que acabou ocupando quase toda a faixa de terreno contígua à praia nos locais citados pelo leitor. Então é isso. Sem a menor preocupação com o saneamento básico, a tonelagem de cocô e outros dejetos dos felizes proprietários de casas “junto ao mar”, que para lá escorre, torna esse litoral belíssimo numa cloaca a céu aberto… Haja virose!

  2. John Doe

    Mas os hermanos não trocam a poluição das praias catarinenses pela “limpeza” das nossas, pelo menos lá há alguma coisa para se ver, comprar e comer. Nas nossas só temos barraquinhas e restaurantes cobrando o olho da cara, igualzinho à Santa Catarina.

  3. Sergio Silvestre

    Eu fui numa tal festa do caranguejo na praia de shangri-la,mas não consegui mesa por ter tantos degustadores desses bichos duros e com pouca carne e ai resolvi passar noma pastelaria.
    Sentamos na mesa e pedimos um pastel e ai me deu vontade de tirar um pouco daquilo que eu tinha bebido durante o dia e ao passar pelo banheiro fedido,emporcalhado me deparei com uma velhinha deitada na frente da latrina com um tubo de oxigênio que calculei que ela usava nas crises pulmonares ou quando a coisa ali ficava insuportável.
    Não comi o pastel e não contei para o resto da família até para que eles também perdessem a vontade de comer,mas esse é o retrato do nosso litoral,cheio de aventureiros sem nenhum tino comercial e nos vendem só porcarias,não sabem nem empanar um peixe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *