7:53Os salários dos professores, segundo a APP-Sindicato

A APP-Sindicato informa:

Quer saber quanto ganha um(a) educador(a)? Pergunte a ele(a)!

Saiba como é composto o salário dos(as) educadores(as) paranaenses, que está longe de ser uma fortuna

Nas últimas semanas, muitos perfis falsos e de assessores(as) ligados ao governo têm divulgado, nas redes sociais, salários de professores(as) e funcionários(as) da Educação. Supostamente, eles estariam tentado “desmascarar” a categoria, publicando os vencimentos destes(as) trabalhadores(as) para provar, à população, como os(as) educadores(as) ganham bem e não têm do que reclamar… Nada mais distante da realidade. Para entender como funciona a tabela de vencimentos de professores(as) e funcionários(as) de escola, veja abaixo:

Um(a) professor(a) ingressa no Estado para lecionar em salas de Ensino Fundamental nos anos finais (6º ao 9º ano) e no Ensino Médio. É obrigatório possuir Ensino Superior (Licenciatura Plena). Este salário é de R$ 1.236,62 por 20 horas ou R$ 2.473,24 por 40 horas. Um advogado, por exemplo, que ingressa no Estado com mesmo grau de escolaridade recebe o valor de R$ 3.194,45 para trabalhar por 40 horas, ou seja, 22% a mais que um(a) professor(a).

Este professor só pode avançar na carreira após três anos de estágio probatório, ou seja, durante este período ele fica com o salário congelado. A cada dois anos, o(a) professor(a) pode avançar até três classes na carreira (com avaliação de desempenho e cursos que participou), o que significa que pode ter direito até 5% de reajuste (em cada classe). Mas nem isto é garantido neste governo que, nos últimos anos, tem atrasado a implantação e pagamento dos avanços na carreira.

Para chegar a um salário de cerca de R$ 2 mil, o(a) professor(a) precisa denove anos em sala de aula. Já para chegar aos cerca de R$ 3 mil, o caminho é mais longo. Será necessário um curso de especialização e um mestrado oferecido pelo Estado, chamado de PDE, cujo número de vagas não é suficiente. E mais: neste ano de 2015 já foi suspenso até agosto. Mesmo assim, após o mestrado precisa de pelo menos mais quatro anos de trabalho para chegar a este salário.

grafico1

 

No caso dos(as) funcionários(as), também há plano específico que permite que, com cursos e tempo de serviço prestado, estes(as) possam avançar na carreira. Um(a) agente I – que são os(as) funcionários(as) que atuam na cozinha, limpeza e inspetoria da escola – entram no Estado recebendo, por 40 horas, o salário deR$ 887,34. A formação exigida, para estes(as) profissionais, é de Nível Médio. Já no caso do(a) agente II – pessoal que atua nas bibliotecas, secretaria e laboratórios – ingressa na rede com salário inicial de R$ 1.331,01, também por 40 horas, e a formação exigida é de Nível Médio.

Da mesma forma que os(as) professores(as), eles podem avançar na carreira em virtude de participação de cursos de formação e avaliação de desempenho. Por exemplo, no caso de um agente I, que ingressa na carreira com Ensino Fundamental, ao fazer o Ensino Médio, ele tem direito a avançar, ao comprovar a formação, sete casas, então, terá direito ao salário de R$ 1.152,05. Um agente II, que ingressa no Estado com Nível Médio, se fizer o ProFuncionário, formação que é dada pelo Estado, tem direito a avançar seis classes e seu salário passa a ser R$ 1.664,83.

grafico2

grafico3

Promoção dos(as) funcionários(as) de escola

Nível Médio PróFuncionário Graduação Pós-Graduação
Agente I 7 classes 6 classes 5 classes
Agente II Ingresso 6 classes 5 classes 7 classes

INGRESSO: 
Agente I – Nível Fundamental
Agente II – Nível Médio
Progressão – 3 classes a cada 2 anos (avaliação, assiduidade e cursos de capacitação)
Pró-Funcionário – curso de 18 meses, aos sábados, nível pós-médio

10 ideias sobre “Os salários dos professores, segundo a APP-Sindicato

  1. José Carlos

    A APP esqueceu de contabilizar o vale transporte de mais de 700 reais q a categoria recebe e que eles fazem questão de dizer que é uma conquista e está incorporado ao salário. Que categoria ganha este valor de VT. Nenhuma, só os professores do Paraná. Artifício engendrado do governo Requiao e q é imexível.

  2. leandro

    O Estado paga um curso de mestrado? Bem, para fazer o meu na minha época e dos meus filhos, esse não mestrado mas sim pós, desembolsei uma boa grana ao longo do tempo. Trabalho até hoje, mas tenho boa aposentadoria, fiz por merecer, continuo pagando a previdência. Muito bem então não estão contentes com os salários? Não estão contentes dom as demais condições de emprego? Só resta uma saída. Mudar de profissão ou de local de trabalho, pois isso já passou dos limites e além de não ter a saída que desejam , os alunos é que são os mais prejudicados. Uma perguntinha : Os chamados de “LIDERES SINDICAIS” ESTÃO TRABALHANDO EM SALA DE AULA?

  3. TOLEDO

    Leandro, você assumiu definitivamente. Só de raiva vai pro Curitibano hoje a tarde e racha o bico de jogar tênis. Você é daqueles que diz : FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO !!! Você nunca fez greve, nem sabe como é, concorda ? Deita e durma coxinha.

  4. Célio Heitor Guimarães

    Permitam-me repetir aqui o comentário feito ontem, a propósito do registro “Transparências e salários entram na guerra”: Não preciso entrar no portal da transparência do governo do Estado. Basta-me conferir o holerite de pagamento de minha mulher, normalista do Instituto de Educação do Paraná, que deu aulas durante 25 anos e se aposentou depois de alfabetizar milhares de alunos, hoje médicos, advogados, engenheiros, juízes, desembargadores e até – quem sabe? – governadores de Estado. O cargo é o PF-NEI-09 Professor, e a remuneração paga pela ParanaPrevidência, mês de maio/15, é a seguinte: R$ 1.278,92, como salário-base, e mais R$ 319,73 de adicionais por tempo de serviço. Total: R$ 1.598,65.

  5. leandro

    Toledo você não sabe de nada. Não é Curitibano, eu com o que ganho frequento o Country Club. Fica ai na ASPP q

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>