8:32A blindagem demolida

A insistência em blindar o governador Beto Richa, uma estratégia que deu certo durante anos, foi uma das causas da demolição de sua imagem. Apenas para citar o episódio mais recente, o da guerra na praça Nossa Senhora de Salete, seria impossível ele ver da janela do terceiro andar do Palácio Iguaçu a reação violenta da Polícia Militar aos primeiros ataques da meia dúzia de aloprados de sempre e não mandar parar com aquele espetáculo dantesco. Mas ele estava no tal Chapéu Pensador, a alguns quilômetros da praça, isolado como sempre e ouvindo os assessores mais diretos e sendo informado por quem estava no fogo do tumulto. Richa continuou no Chapéu, perto da paz do Parque Barigui, deu aquelas entrevistas onde as respostas provavelmente foram treinadas, como a da primeira hora em que explodiu o episódio do primo Luiz Abi, e tudo continuou desandou até ontem, depois de ele, de fato, ter se “ferido” com o espancamento local, nacional e internacional pelo acontecido – além de ver dois secretários e o comandante da PM irem para o ralo, coisa que deveria ter providenciado na primeira hora, quando foram contabilizados os feridos. Nove dias depois dos fatos tristes Richa pediu desculpas pelos feridos e disse que o maior ferido foi ele. Ele repete um comportamento que pode ser traduzido, da forma mais branda, como indecisão, apesar da crueza do ocorrido. Foi assim que agiu quando era prefeito de Curitiba e seu chefe de gabinete, Ezequias Moreira, foi pego no famoso caso da “sogra fantasma”. Apesar de todo o escracho, ele demorou um mês para afastar o amigo. Depois disse que este tinha pago o que devia e hoje Moreira é secretário de Estado, apesar de o processo do caso estar aguardando encaminhamento numa gaveta do Tribunal de Justiça. Pode-se dizer que este é o estilo de Richa comandar. Deu certo até a reeleição ao governo do Paraná em outubro passado. Há seis meses, por conta disso, o governador mantinha índices de popularidade que sempre giravam em torno de 70%. Veio o primeiro pacotaço, o fiscal, que passou num tratoraço. Depois, o outro, onde se colocou o dedo na Paranaprevidência, a casa de marimbondos do sindicato dos professores estaduais, que já estava agitada, abriu as portas e deu no que deu. Resta saber se o pedido de desculpas de ontem vai fazer Beto Richa começar a curar as próprias feridas ou se elas ficarão abertas para sempre. Só o tempo dirá.

6 ideias sobre “A blindagem demolida

  1. Professor Xavier

    O Beto é um cara que por ter dois pés parece nãos e importar em dar um tiro num deles. Esta encanação que ele tem com amigos, parentes e cuecas de seda é que o tem levado a dar tantas mancadas. Porque ainda se agarra no tal Ezequias Moreira, o cara é tão competente assim, é imprescindível ao Governo? E o ex-secretário da Educação também? Para o cara só faltam os cargos de prefeito de Curitiba e governador do estado. O piá de prédio é vítima dos próprios tiros no pé que ele parece adorar dar.

  2. Oto Lindenbrock Neto

    Resta saber se depois do “o melhor está por vir” ainda restou um dedinho de credibilidade. As desculpas pareceram desprovidas de emoção. Certamente escritas e ensaidas com o gabinete de crise. Algumas coisas no entanto ficaram claras: o governo (ou sua incompetência) ressucitou a APP -inexistente desde o governo Lerner- e o falecido Requião. E ainda não conseguiu explicar como quebrou o estado.

  3. Antonio Vier

    Pomba, zé beto, não postou por que meu post??? não entendi. mas ok, posso imaginar. devo entender.

  4. Antonio Vier

    sempre prestigiei tua pagina por entender independente, mas se for o contrario, aceito e entenderei.
    Abraço e sorte a todos

  5. Zé Beto Autor do post

    meu caro, fofoca sobre a vida particular das pessoas é fofoca sobre a vida particular das pessoas. aqui não entra, não importa quem seja o alvo. se você não entende e confunde as bolas, o problema é seu, não meu.

  6. Sergio Silvestre

    Acho que uma grande maioria dos eleitores tem a “síndrome de Estocolmo’ e em muitos jovens.
    Uma bela moça,tem como colega um belo rapaz e estudioso,mas ela prefere aquele que a espera no portão,e sai para curtir um baseado e cair nos braços do traficante.
    Duro dizer isso,mas é a verdade com a maioria dos adolescentes de hoje,talvez até seja a vasta propaga ção daquilo que fazem os mais velhos,adoram dormir com o inimigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>