7:41MAR SUBMERSO

por José Maria Correia

Há dentro de mim,
e de mim apenas
um secreto mar
de  poesia encantado,
só eu o tenho,
há muito tempo
oculto, imaginado.

É vasto, oceânico,
silencioso e profundo,
calado, da luz esconde
submersas mágoas
do incerto mundo.

Às vezes provocado,
é do luar surgido
transbordado e
dos  mares loucos,
explode revoltado.

Em ondas de memórias
é assim trazido em
tormentas e histórias
de passado esquecido.

Vagas de sentimentos,
ancestrais mastros ,
naufragados escombros,
acenados movimentos
marcados rastros
de indistintos astros

Ventos de sopradas
perdas, sofridas lidas
tão distantes
de não surgidas,
mas prometidas
estrelas rompantes.

Lembranças vindas
de alegrias de antes,
esquecidas tardes
vidas findas,
rompidos amantes.

Poentes de tristezas
mais antigas,
refletidas por instantes,
marés minguantes
tardias, vazantes.

Mar em mim perdido,
mero engano adormecido
raro azul de diamante,
delírio embriagado
sombrio, alucinante.

Obscuro, solitário
sou desse mar
estranho, imaginário,
insone viajante
distraīdo retardatário.

Convés da vida
fugidia, inconstante
angustiada avante
a alma errante.

Noturno destino
porto sem abrigo
assombrado farol
sem ocupante
aguarda o rochedo
o eterno navegante.

Uma ideia sobre “MAR SUBMERSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>