18:26Ladrão de fogo

Porque nasci
de manhã cedo
do fundo de um poço dos desejos
sei que só há
uma certeza:
o mundo é um tecido de surpresas.
À noite estou
apaixonado
principalmente quando embriagado
mas de manhã
pego a estrada
que leva a uma cidade intoxicada.
No fundo sou
um anarquista
e pago à prestação por uma vista.
Penso na paz
vivo a guerra
o céu fica distante desta terra.
Às vezes sou
ladrão de fogo
às vezes prisioneiro de algum jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo.
Às vezes rei
às vezes bobo
às vezes sou peão em qualquer jogo.
Seja o que for
não tenho medo
dos uivos dos fantasmas de mim mesmo

de Antonio Cícero, Waly Salomão e João Bosco

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>