4 ideias sobre “A VIDA COMO ELA É

  1. Parreiras Rodrigues

    Mês passado fiz foto igual.

    Esquina da XV com Monsenhor Celso.

    Foi sede do Banco Comercial do Paraná (da família Lemanski e Oliveira Franco – senador Adolfo).

    O Bancial foi um dos primeiros bancos comprados pelo Banco Mercantil e Industrial do Paraná (dos Vieira), que, com a aquisição virou Bamerindus, comprado pelo HSBC.

    Em 63, trabalhei três mêses ai, quarto andar – contabilidade geral.

    Na outra esquina, hoje agência Itaú, a matriz do finado Banestado.

    Mas o que eu gostava mesmo, eu e trinta funcionários que ocupavam aquele andar, era assistir – 13 horas, a entrada da secretário do chefe da Contabilidade, o sr. Ricci, ou Azevedo, (sisquici).
    Da família Caprilhone. Linda, do bico do salto alto até a derradeira pedrinha que enfeitava sua tiara que lhe assentava como coroa.
    Deve ser hoje, uma vovó, a mais bonita vovó de Curitiba.

  2. GUMERCINDO SARAIVA

    CURITIBA está morrendo…

    A Rua das Flores, marco cultural e comportamental desta cidade a partir dos anos 1970, tão festejada e glorificada até no exterior está morrendo…. após 40 anos.

    O ícone, Rua das Flores ,está muito bem retratada na foto acima , ‘” A VIDA COMO ELA É ” … nasce, cresce, adoece e morre.

    Eitcha cidade hipócrita.

    Trabalho nesta rua , chego pela manhã e saio a noite.
    Fico entristecido em ver pela manhã :

    i) as calçadas sendo lavadas com agua e sabão, após servirem de dormitório para os sem- teto que deixam todos os escrementos ambaixo das marquizes do Plano Agache.
    ii) o mitório público sendo usado em plena luz do dia, ao lado da Banca na esquina com a Marechal Flloriano.
    iii) saber que algumas pessoas cairam no calçadão e se machucaram. Observem o núero de buracos no calçadão.
    É O CIRCO DOS HORRORES.
    O símbolo do descaso do Poder Público Municipal.
    A era DUCE, perdão, DUCCI nos legou esse cancro.
    iiii) semana passada , uma pessoa deficiente caiu num bueiro aberto e foi hospitalizada.
    v) observar os prédios que foram pichados na noite anteiror
    vi) Nem o ” oil man “, passeia mais pelo calçadão
    vii) A Terezinha e a Sheila não cantam mais os bilhetes de loteria. Sumiu a Borboleta 13.
    viii ) No trecho Mal. Floriano/ Barão do Rio Branco, as lojas deram lugar a shopings populares, mais populares do que os da Praça Rio Barbosa

    A noite, todos os gatos são pardos :

    Os ” sem teto ” chegam e apanham seus cobertores guardados nas caixas de telefones e aguardam o jantar servido pela FAS, antes de iniciarem sessões de sexo explicito e de crak.

    Os estudantes que trafegavam pelo calçadão após as 22h30, sumiram… MEDO !!!!. Cadê a cidade universitária ? A Cidade Sorriso ?
    Hoje o sorriso deste trecho da cidade é de um homem banguela, sujo e manco , o símbolo da degradação.

    Observaram que nos espetáculos de luzes do Natal, o finado calçadão foi tomado por vendedores bolivianos ?

    E… ainda falam em recuperação do Centro Histórico.

  3. Francisco de Assis

    ZÉ BETO,

    Sendo operacional e buscando uma solução para o problema tão bem demonstrado pelo GUMA SARAIVA.

    QUEM VAI CONVIDAR O FRUETINHO PARA CONHECER A ” NOVA RUA DAS FLORES “?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>