16:07Os delegados de polícia e a ação no Parolim

Recebemos do delegado Jairo Estorilio, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná (Sidepol), o seguinte “Comunicado Oficial”

 Em vista dos acontecimentos dos últimos dias, quando alguns policiais civis agindo de forma autônoma e ausente de representatividade sindical, realizaram ações policiais veiculadas na imprensa local como “operação padrão”, entende que é necessário um posicionamento sério e imediato das instituições democráticas que congregam os policiais civis de todas as carreiras.

Embora o policial civil possa e deva agir diante de situações que evidenciam a prática criminosa, existe uma Instituição com mais de 150 anos de existência que obedece a princípios da legalidade e hierarquia, sem os quais teríamos uma milícia armada e não uma entidade que representa a Polícia Judiciária estadual.A alegação destes investigadores, na sua maioria recém nomeados, é que estariam representando a classe policial civil para pressionar o governo do Estado a encaminhar o projeto do Estatuto da Polícia Civil.

Desde o início de janeiro, pela primeira vez na história da Polícia Civil, todas as entidades de classe ( SIDEPOL, ADEPOL, UNIÃO DA PC, SINCLAPOL E SINDIPOL- Londrina) que legitimamente representam os integrantes das carreiras estão se reunindo na mesma mesa com o Secretário de Segurança, Dr. Reinaldo e com o Delegado Geral, Dr. Michelotto, para inicialmente resolver a questão salarial e posteriormente dar o melhor encaminhamento possível ao Estatuto. Estas informações vem sendo divulgadas de forma exaustiva pelas entidades, pelo governo e pela imprensa local.

Existe uma entidade não reconhecida que congrega os policiais que estão realizando tais operações, se o objetivo é cumprir a lei e reprimir a prática criminosa, seria louvável, mas mesmo assim as operações policiais devem ser planejadas e executadas dentro de critérios técnicos e não de forma desordenada e sem comando. É preciso alertar que a intervenção policial repressiva traz consigo o risco de resultados inesperados, com grande potencial lesivo e de intervenção aguda na esfera individual do cidadão, não podendo ser realizada de forma desordenada e clandestina.

Por isso, nos parece que tais ações vêm sendo orquestradas por policiais mais antigos que manipulam os mais novos com a intenção de prejudicar as negociações com o governo do Estado e consequentemente chegar a direção do SINCLAPOL que tem suas eleições em abril próximo. Por isso entendemos que se estes policiais possuem informações sobre ilícitos que não estão sendo apurados devem se dirigir as suas respectivas chefias e somar esforços para concretizar o trabalho policial de forma responsável e segura. Caso contrário estaremos presenciando atos de desespero que podem trazer consequências funestas para a Instituição.

Finalmente comungamos plenamente com a posição do Departamento da Polícia Civil e com a posição do SINCLAPOL sobre tais episódios.

4 ideias sobre “Os delegados de polícia e a ação no Parolim

  1. luislopes

    Parem de contar mentiras.Esta ação foi realizado por policiais sérios e jovens que querem mudar a policia para melhor .A população quer mais respeito, não somos tolos sabemos que tem muito mais a ser feito em especial nestas casas noturnas que os jovens estão frequentando são pontos de distribuição de drogas vamos proteger os jovens e garantir a paz e a ordem Nas regiões que a população não tem nem o direito ao sono, como por exemplo a Avenida vicente machado ,praça da Espanha, e centro da cidade só tem droga e desrespeito ao direito ao sono restabelecedor . Zé Beto Beto por favor estamos abandonados pelo Município , não somos contra a diversão mais esta demais carros que nas madrugadas com seus sons no ultimo volume que até os alarmes das lojas disparam cade as campanhas educativas que o município deveria ter?Afinal de conta são eles que permitem este desrespeito Obrigado

  2. luislopes

    Há e os fumódromos…. em que de madrugada perturbam a todos que moram próximo, Os frequentadores fazem muita baderna e per turbão os mais próximos e muito desagradável estamos abandonado a municipalidade alega que zr4 e etc … que falta de noção a lei é clara onde for zr4 e tiver moradias devem ser revisto estas autorizações e a conduta destes comércios SOCORRO ZÉ BETO esta faltando gente( Prefeito) que garanta o direito dos moradores

  3. maurio messias

    Concordo em parte com o posicionamento escrito acima o que acontece que toda vez que situações ilícitas envolvendo bacanas e cara da alta sociedade, gera essas polemicas, resumindo se esses policiais estive comunicado o fato a seus respectivos chefes, que por vez iriam comunicar ao chefe geral da policia que não colocaria sequer a mão no fogo e correria para o governador e estaria tudo abafadinho como sempre. Parem de falar e escrever besteira um policial em serviço tem obrigação de combater crime foi isso o que eles fizeram Parabéns para eles, poderia prender junto com os cafetões da jogatina os tais chefe que não deram respaldo ao trabalho digno e honrado que que eles fizeram, muitas podridão virão a tona ainda nesse governo de mauricinho.

  4. Bebum

    Prostituição e jogo do bicho ajudam no “caixa” nas eleições e no “up” dos salários de muitos politicos e fucionários de certos orgãos governamentais.
    Deixo a pergunta:
    PORQUE A POLICIA FEDERAL TEVE QUE INTERVIR NA REPRESSÃO AO JOGO DO BICHO NO PARANÁ?
    NÓS NÃO TEMOS POLICIA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>