22:11HORÓSCOPO

por Zé da Silva

Câncer

A luminosidade era tão forte quanto a daquela foto que um dia viu num calendário. Havia mar, nuvens, montanhas, um pier, duas crianças e um homem. Momentos mágicos que, às vezes, nem quem registrou sabe como a imagem surgiu daquela forma. Uma mensagem do outro lado? Pois agora ele estava ali a ver e sentir algo parecido. Mas imaginava que tinha se despedido da vida – mas não tinha. Se sentia tão bem sem sentir o corpo. Enxergava e, melhor, era tudo tão natural, tão… Assim estava no útero da mãe. Descobriu que antes de ser gerado também. Era aquilo. Era o tudo e o nada ao mesmo tempo agora para sempre. Estaria, então pensando? Como saber? Para que saber. Houve um momento, antes da luz, que fez-se a escuridão, que tamgém é luz, descobriu. Ao contrário. Aquilo tudo era paz. Era a palavra inventada que ouvira muitas vezes em meio ao tormento da vida. Morri? Não sabia. Apenas queria ficar assim. E ficou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>