10:56Delegados rebeldes

Os delegados da Polícia Civil de Santa Catarina anunciaram hoje que vão esvaziar as celas das delegacias e levar os presos para os presídios dentro de 24 horas, conforme manda a lei. Se a moda pega aqui no Estado vizinho, a casa cai. Confiram a reportagem:

Delegados dizem que levarão detentos para presídios em até 24 horas
Determinação estabelece prazo máximo de permanência em delegacias

A crise entre os delegados da Polícia Civil de Santa Catarina e a Secretaria de Estado da Segurança Pública pode ser intensificada. Os delegados anunciaram nesta sexta-feira que os presos em delegacias da Grande Florianópolis serão encaminhados ao Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap) em até 24 horas.

A medida visa cumprir a determinação que estabelece o prazo máximo de permanência de presos em celas de delegacias. Após o período, eles devem ser levados para unidades prisionais.

Os delegados reclamam da demora do Deap em recolher os presos, o que mantém as carceragens das delegacias lotadas. A decisão dos policiais foi divulgada nesta sexta-feira por Renato Hendges, vice-presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol).

A medida é apoiada em uma lei estadual que define não ser função de delegado cuidar de preso. A iniciativa coincide com outra mobilização da categoria, que pede reajuste salarial.

— Esperamos que o Deap recolha os presos que estão nas celas de delegacias, senão teremos que providenciar a remoção por conta própria. Em 24 horas encaminharemos ao Deap — disse.

Atualmente, existem pelo menos 70 outros presos em celas de delegacias da região aguardando vagas no sistema prisional. A mobilização dos delegados deve ser estendida para o restante do Estado nos próximos dias.

Protesto

Na quinta-feira, os delegados recolheram 26 presos que estavam em delegacias da cidade e os encaminharam à Central de Triagem. Dezesseis foram transferidos pelo Deap para unidades prisionais em São Joaquim, na Serra, e Rio do Sul, no Vale.

Dois receberam alvará de soltura. Os outros oito não foram recebidos pelo departamento que administra o sistema.

Os delegados se negaram a retornar com os presos para as delegacias, e os detentos ficaram presos dentro de camburões em frente ao presídio por oito horas.

No final da noite, os delegados resolveram levá-los para a carceragem da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais) para passar a noite. Na manhã desta sexta, equipes do Deap estiveram na Deic e recolheram os oito presos à Central de Triagem.

— Temos que perguntar: Por que agora tem vaga? Por que não receberam eles ontem? Nós ficamos ali na frente por questões pessoais, birra? — indaga o delegado Hendges, que ressalta que os policiais estavam sendo “forçados” a executar tarefas de agentes prisionais.

— Nós vamos cumprir a lei. Os delegados não vão fazer greve nem paralisar as atividades. Não queremos afrontar o governo e nem somos contra as demais categorias que receberam aumento — adianta.
CBN/DIÁRIO E DIÁRIO CATARINENSE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>