9:37A segunda fita

O jornalista Celso Nascimento, o principal colunista político do Paraná, afirma hoje na Gazeta do Povo que ” a ‘prova’ apresentada pelos assessores de Richa foi por demais frágil: um vídeo igualmente clandestino em que um dos “vazadores” da gravação comprometedora, sob visível indução, insinua – mas não afirma – a participação daqueles personagens na trama”. Os personagens são Alvaro Dias, Luis Fernando Delazari e Fabio Camargo. Isso em meio a um texto direto no que ele considera uma ferida difícil de ser fechada (leia abaixo). Na tropa de choque de Richa a explicação é que a gravação foi feita, a partir do segundo encontro, porque temia-se que Oriente estava esperando qualquer tipo de oferta para compra da fita, o que confirmaria as suspeitas de que o núcleo da campanha, incluindo o prefeito, obviamente, sabia do que estava ocorrendo ali. A conferir.

por Celso Nascimento

Três perguntas que ainda estão à espera de respostas

Nem mesmo aliados do prefeito Beto Richa conseguem demonstrar satisfação com as explicações até agora dadas por sua assessoria sobre o constrangedor episódio da distribuição de dinheiro para dissidentes do PRTB em troca, supostamente, de apoio à sua reeleição, em 2008, conforme registrado em vídeo clandestino. É que perguntas absolutamente essenciais ainda não foram respondidas.

Na última segunda-feira, 24 horas após reportagem da Gazeta do Povo e da divulgação da fita no Fantástico da Rede Globo, os ex-diretores financeiro e jurídico da campanha de 2008 (Fernando Ghignone e Ivan Bonilha) convocaram a imprensa para tentar provar que tudo foi fruto de um malicioso ardil de inimigos de Beto Richa, contrariados com o fato de o prefeito figurar hoje como favorito na disputa pelo governo estadual na eleição do ano que vem. O vídeo, segundo os assessores, entrou nessa história como instrumento para desconstruir a boa imagem e, consequentemente, para enfraquecer o projeto de ascensão política de Richa.

Daí a insinuar que o mandante da operação era o senador Alvaro Dias – que compete com Richa pelo direito de ser o candidato do PSDB – foi um passo. Outros culpados também foram nominados, como o secretário estadual da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, e o deputado estadual Fábio Camargo – o primeiro porque teria agido a mando do governador Roberto Requião; o segundo, porque, tendo sido candidato a prefeito, perdeu parte da força eleitoral que o PRTB poderia lhe dar.

Impossível não admitir alguma lógica nessa teoria conspiratória. De fato, seria ingênuo desconhecer a existência de interessados em desestabilizar Richa e, em qualquer análise superficial, os nomes citados seriam fatalmente incluídos entre os que, supostamente, poderiam tirar vantagem ou tardiamente vingar-se.

O problema é que a “prova” apresentada pelos assessores de Richa foi por demais frágil: um vídeo igualmente clandestino em que um dos “vazadores” da gravação comprometedora, sob visível indução, insinua – mas não afirma – a participação daqueles personagens na trama.

Fora denunciar a suposta “armação política”, o que ficou claro na entrevista dos assessores e em outros fatos levantados pela imprensa até agora foi que:

1) Houve distribuição de dinheiro para pessoas que se dispuseram a apoiar a reeleição do prefeito;

2) Foi criado um comitê especial para estruturar a ação dos dissidentes pagos;

3) O imóvel em que este comitê funcionou foi alugado em nome da campanha de Beto Richa;

4) As demais despesas (gasolina, material de propaganda, etc.) foram pagas pelo partido de Richa, o PSDB.

5) O coordenador do comitê e os principais líderes do movimento dissidente do PRTB ocupavam cargos de confiança na prefeitura. Outros foram nomeados logo após a eleição.

Esta sequência de fatos conhecidos é agora indesmentível e leva à lógica suposição de que tudo o mais que acontecia no comitê obedecia a uma coordenação superior da campanha ou de pessoas nas quais o candidato Beto Richa depositava confiança. Caso contrário, nem as teria nomeado e nem, depois, dar-lhes-ia encargos importantes na campanha.

Pois bem: se os personagens eram conhecidos e de confiança; se o locatário do imóvel era a própria camapnha do candidato Beto Richa; se toda a estrutura foi montada para favorecer sua campanha; se muitos gastos foram cobertos com recursos declarados do PSDB – então, por que não podem ser esclarecidas também as seguintes perguntas:

• De onde surgiu o dinheiro para pagar os dissidentes do PRTB?

• Para que serviam os recibos assinados pelos beneficiários e para quem foi feita a prestação de contas?

• Se todas as ações e gastos do comitê eram direcionados para a campanha de Richa, por que os recursos não foram contabilizados no caixa 1 e registrados no TRE?

Estas são as perguntas essenciais. Ninguém sabe responder? Talvez o Ministério Público Estadual, que ontem anunciou já ter iniciado as investigação, consiga obter as respostas.

17 ideias sobre “A segunda fita

  1. RitaC

    Se o Prefeito em vez de nomear pessoas “de confiança”, pagasse melhor seus funcionários, aí sim, ele teria pessoas fiéis ao seu lado.

  2. duda

    faltaram algumas perguntas, jornalista Celso Nascimento:
    - qual o interesse da Gazeta do Povo nisso tudo?
    -Por que a Gazeta ataca Beto?
    -Qual o valor do acerto entre a GP e o governo Requião?
    -Porque a GP parou de atacar Requião e passou a atacar Beto?

  3. Meire

    Ah duda, isso todo mundo sabe… o PT financia a Gazeta e a Globo e o Requião passou a fazer parte dos planos.
    Lembra como eles fizeram vergonhosamente campanha para a Gleisi?!
    Mas deixa estar, eles vão ver o resultado nas urnas: Beto vence no primeiro turno e é o novo governador do Paraná.
    Ridícula a ligação que quiseram fazer do Beto com aqueles bobos alegres da fitinha…

  4. O

    O Celso Nascimento tá bem vendido nessa história toda. A Gazeta tá fazendo um papelão tentando desconstruir a imagem do prefeito. Vão sair perdendo sim quem apostar nisso. O Beto vai se fortalecer e a pancadaria vai começar pra todos os lados, principalmente dos Dias e cia! Do louco do governador a gente ja ta acostumado a ver essas atitudes. Vamo pro pau!!!

  5. Antonio

    Então Duda, nos responda: Por que quando a Gazeta só tinha elogios ao prefeito ninguém falava nada? Por que a Gazeta, em tempos não muito distantes, alavancava o prefeito em suas candidaturas? Por que a Gazeta sempre teve boa vontade ao anunciar e publicar matérias sobre obras da prefeitura? Ora, meu amigo, está mais do que claro que nossa imprensa tem lá suas tendências e age de acordo com as circusntâncias. Portanto, deixem a Gazeta de lado e passem à se preocupar com as inquirições do Ministério Público. Esse, sim, vai correr atrás das devidas explicações em busca da verdade. Se não houve nada demais, palmas para o prefeito, caso contrário o bicho pode pegar. Simples, pois não?

  6. O Leguminoso

    Duda, a Gazeta ataca o Beto porque (finalmente) está fazendo jornalismo sério, publicando reportagens sem vetos do finado Chico Beleza. Entendeu?

  7. Jurandir

    A muito a Gazetona, que de independente não tem nada, está no caixa do PT!

    Para ela assumir tal posição sobram mas de oitenta milhões de razões!

  8. Coitada da Gazeta...

    A Gazeta fala do Requião – dizem que ela tá vendida ao Beto e PT; fala do Beto – está vendida ao Requião e PT; fala do PT – está vendida ao Beto e ao Requião…. Assim não dá… Tinha razão o Chiquinho: bajula todo mundo que não dá briga e enchemos a burra…

  9. Cacá

    outras perguntas que a gazeta e o celso tem que responder

    Itaipu paga ainda 97 milhoes em publicidade pra gazeta?

    o colunista, pseudo moralista, já esta pronto pra pagar indenização por falsas acusações a um vereador?

  10. Pé Vermelho

    Aqui em Barra do Jacaré, GP não entra. E a Playboy tem um único assinante. O barbeiro Zé Roia.

  11. Dirceu

    Zé Beto, cuma?? O Celso é o principal colunista do Paraná ?? Deixa de ser servil. Só porque é da Gazeta?? O Celso é um colunista de poucas fontes, barrado pela antiga direção da Gazeta e promovido pela atual. Só sabe atacar. Antes, o Requião, com uma preferência pelo Eduardo; agora, o Beto Richa. Na coluna não há uma informação positiva, que não as bajulações. Só ataques. O princiipal colunista político do Parana, gostem ou não, e eu particularmente não gosto, é o Fábio Campana. Ele tem fontes, circula da direita à esquerda. Participa, $ugere, modifica, recebe (e muito). Enfim, um colunista “bão”,como a imprensa do Paraná. O Celso é discípulo do Fabio, mas não chega aos pés do mestre. Seja no conteúdo das informações, na elegância do texto, na visão de mundo, na cultura e, por que não: no faturamento…..

  12. igo

    Mostrar roubalheira de político agora é “ter interesse”. Acho que quem tem interesse são esses comentaristas plantados pela prefeitura. Só uma pergunta: já abriram licitação para a compra de JIMO CUPIM na prefeitura?

  13. igo

    E tem mais, quem ama tanto o prefeito que passe talquinho nele – mas não se esqueçam de levar o irmão dele, o PEPE, que opera o esquema da safadeza.

  14. Carlão

    Que atire a primeira pedra quem ainda acha que tem gente honesta na política paranaense.
    E que atire a primeira pedra quem ainda acha que há “grande imprensa” séria no Paraná…

  15. jeremias bueno

    Ô, pessoal da Prefeitura: parem de gastar o tempo de vocês, pago pelos munícipes (nós), com “operação abafa” nos blogs.

    Os aloprados dos vídeos são gente de vocês e não da Gazeta.

    A Gazeta e toda a população apenas quer saber a origem do dinheiro da maracutaia e onde ele foi contabilizado. Só.

    Ministério Público já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>