10:51Vão-se os anéis, ficam os tentáculos

lulaschrek

——————————-

ROGÉRIO DISTÉFANO

O outro hino

Caetano Veloso cantou o Hino Nacional na posse da ministra Cármen Lúcia, no Supremo.  O hino, retórico e extenso, foi desmoralizado pelos jogadores de futebol e pelos políticos – uns não o conhecem, outros não o respeitam. Em tempo de Lava Jato, impiche de Dilma, cassação de Eduardo Cunha, convidados da ministra sob investigação e súb júdice – incluída Sua Santidade Propínica Lula -, a música certa seria ‘Azul da cor do mar’, de Tim Maia, com o verso eloquente: “Ah, se o mundo me pudesse ouvir, tenho tanto pra contar”.

Marqueteiro data venia

O propinoduto secou, fim do dinheiro fácil, os tesoureiros no xilindró, o marqueteiro trocado pelo advogado. Péssima ideia do PT, que lança o brado “Golpe Continuado”, agora que o cerco se fecha em torno de Lula. Na falta do inventor da ciclista mentirosa, sacaram da defesa do advogado a ideia do ‘golpe continuado’. Má ideia: ‘golpe continuado’ lembra ‘corrupção continuada’.

Amante à Vinícius

Falem o que quiserem, mas Eduardo Cunha é um amante à Vinícius: “de tudo a meu amor serei atento”. Entrega tudo, desde o trust até os demais assaltantes, para livrar a mulher, Cláudia, de processo e prisão na Lava Jato. Lula não entrega nada e Marisa Letícia entra com ele no processo da Lava Jato. Sim, Lula não entrega nada além do que já entregou: os presentes de Estado, guardados no depósito pago pela Odebrecht. Nem o sítio de Atibaia ele entrega, porque o sítio é do filho do sogro do amigo do vizinho do filho. E a cobertura do Guarujá, ora, ele nunca dormiu nela.

Moro ali adiante

A assessoria de Michel Temer não conhece a história do Brasil. Vejam a decisão de continuar morando no Jaburu. Marcela, Michelzão e Michelzinho não pretendem residir no Alvorada, de onde Dilma foi despejada. Deodoro, o primeiro presidente, foi deposto em golpe patrocinado pelo vice, Floriano, que governou até o fim com o título de ‘vice-presidente’. Floriano nunca se permitiu o título de presidente da República. Michel Temer recusa o CEP de presidente.

Passarinho que come pedra

O PT acusa o ministério público de fazer “espetáculo midiático” com a denúncia de que Lula era comandante em chefe da corrupção. Passarinho que come pedra tem que cuidar da digestão: o que foi o PT nos treze anos e meio de poder senão um espetáculo midiático?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>