7:58PENSANDO BEM…

ROGÉRIO DISTÉFANO

O foro, um desaforo Michel Temer faz um caxangá no ministério:  o ministro da Justiça sai para o da Transparência e o da Transparência para a Justiça. Melhor, impossível. A Justiça tem que controlar a PF, que investiga o presidente; a Transparência só tem a ganhar com alguém opaco, o ex-ministro da Justiça. Se a Justiça não perde, o réu Michel Temer pode ganhar com o novo ministro da Justiça, especialista em direito eleitoral e ex-ministro do TSE, onde periclita o mandato de Temer. Ou seja, o novo ministro será consultor jurídico de um réu, não ministro do Brasil

Em um Brasil normal o ex-ministro da Justiça, agora ministro opaco na Transparência, já teria caído. No Brasil mais normal de Michel Temer ele tem que permanecer no ministério. Não no interesse maior da alta administração, mas no interesse menor do alto réu presidente. Ainda que um fracasso de ministro, como já demonstrou, serve para o que realmente interessa: garantir foro privilegiado para o deputado-de-castigo Rodrigo Rocha Loures. E impediram Lula de ser ministro da Casa Civil para ganhar foro… O foro de Rodrigo é mais um desaforo de Temer para o Brasil.

Os dois lados da força O ministro Luís Roberto Barroso pede blindagem institucional para o colega Édson Fachin, atacado em todas as frentes e até pelas costas depois de ter homologado o acordo de leniência com a Friboi e autorizado inquérito de Michel Temer. Em especial o acordo, que o colega Gilmar Mendes quer rever no STF. Desde sempre Gilmar quer matar a Lava Jato, o lado branco da força. Barroso fica com Fachin, em quem reconhece decência e integridade. Nada lhe foi perguntado, portanto nada disse, sobre iguais virtudes em Gilmar. Darth Vader encontrou Luke Skywalker?

Uma vez porteiro… Michel Temer declara que será o último a deixar o governo. Que tenha a decência de não pedir para a Friboi transportar a tralha e pagar o depósito para guardá-la. Na saída, apague a luz do Jaburu. Isso é função de porteiro, até de ‘porteiro de filme de terror’, como o presidente foi definido pelo finado senador ACM.

Rimeique Muito longo, ou grosso como se diz, o ‘Notícias do Planalto’, de Mário Sérgio Conti (1999) sobre a queda de Fernando Collor. Quem ler hoje verá repetida sem efeitos especiais: perto de Lula/Dilma/Temer, Collor e asseclas eram amadores em filme de baixo orçamento. Os enredos são quase iguais, até trouxeram para o de hoje personagens do filme antigo. Se a fita tiver o mesmo desfecho, o vilão morre no fim.

Fly me to the moon  O BNDES e a CEF têm 26% das ações. Os irmãos Batista, conselheiros e administradores da Friboi, viajam – até no dia seguinte ao do acordo de leniência com a PGR – para o mundo com o jatinho da companhia, maravilha da Gulf Stream de US$ 50 milhões. Privatizaram o jato. E a CVM? Nada. Ela cuida do privado-privado, não do privado-público.

Palavras do profeta “O Brasil não parou, nem vai parar”, palavras de Michel Temer. De fato. Não para de impichar presidentes.

2 ideias sobre “PENSANDO BEM…

  1. Zé Mané

    Estes irmãos Batista amam tanto os EUA que até na hora de comprar um jatinho compraram um americano, talvez os filhos de açougueiro não saibam, mas um empresa paulista fabrica um igualzinho ao que a família comprou. Talvez na próxima aquisição os sócios estatais sugiram que se compre o jato feito ali no interior de São Paulo. Aposto que não vão se arrepender da compra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>