20:38JAMIL SNEGE

Toma a máquina do meu
corpo e nela
transporta o socorro para
os teus aflitos.
É de pouca serventia,
sei – o coração me
arde, meus músculos estão
fracos – mas podes
usá-lo à exaustão.
E quando não mais prestar,
Senhor, escolhe uma
tíbia e faze uma flauta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>