21:01Globo quer impor casuísmo judicial contra Lula

por Gleisi Hoffmann

Na medida em que aumenta a pressão dos poderosos para que o ex-presidente Lula seja preso – contra as provas, contra a Constituição e contra a vontade da maioria – vai ficando mais claro o desprezo destes setores pela democracia e pelo povo brasileiro.

É pela força e pela violência que impõem seus interesses e os interesses estrangeiros que sempre representaram no País. Foi pela força da mídia manipuladora, Rede Globo à frente, e pela violência de dois julgamentos parciais, previamente articulados, que levaram o maior líder do País a esta situação.

Agora, a Globo quer que o Supremo Tribunal Federal permita, por omissão, que a prisão de Lula seja executada. Passou de todos os limites a pressão dos editoriais para que o STF não julgue as ações e habeas corpus que contestam a prisão em segunda instância.

Mais precisamente, a Globo quer que o STF não julgue as ações e habeas corpus a tempo de evitar a prisão de Lula por ordem de Sergio Moro. A Globo quer praticar contra Lula o mais abjeto casuísmo judicial. Este é o comportamento típico de quem se considera dono do País.

O que está jogo é mais que o direito que Lula tem – como todo cidadão – de recorrer em liberdade para anular uma sentença injusta. Estão em jogo nossa democracia, já tão violentada, e o futuro do Brasil.

O que se pretende com a prisão de Lula, além de humilhar o maior presidente de todos os tempos, é proibi-lo de disputar as eleições de outubro. Na verdade, proibir o povo de eleger quem melhor o representa. É a continuação do golpe do impeachment que interrompeu o primeiro governo democrático e popular na história do País.

Querem prender Lula para manter o Brasil nas mãos de quem só vê os interesses dos ricos, quer acabar com aposentadoria, tirar direitos dos trabalhadores, entregar o pré-sal e o patrimônio brasileiro aos estrangeiros.

Como sabem que este programa jamais seria aprovado nas urnas, recorrem à força e à violência por todos os meios. São eles que desrespeitam as instituições.

A pressão descarada da Globo para prender Lula, rasgando outra vez a Constituição, torna ainda maior a responsabilidade do Supremo perante a Constituição, a história e o País.

Gleisi Hoffmann é senadora (PT-PR) e presidenta nacional. do PT

4 ideias sobre “Globo quer impor casuísmo judicial contra Lula

  1. Jorge

    Se alguém rasgou e que continuar rasgando a constituição é Lula e seus cúmplices, como p.ex. Gleisi ; que se não fosse a aberração do foro privilegiado, já estaria na cadeia.

  2. Sergio Silvestre

    Eles querem o Pais exportador de commodities,e um povo miserável servil mais ao menos um Mexico que vive de quatro para os EUA.
    Esse é o governo gerado na Av Paulista,com seus corruptos morando nos jardins em verdadeiras chácaras de 8 mil reais o M2 somente o terreno.
    Me parece que nós já fomos pro saco de novo,vem ai um período miserável onde pontes e viadutos aumentando sua densidade demográfica e a criminalidade calculada só aumentando até por que por detrás dos altos muros com arame farpado e guaritas a prova de bala nada os atinge,mas os pobres ,pretos e excluídos esses serão os escolhidos por Deus para militar no fogo cruzado.
    Para que mudar se está bom,Juiz ,politico ,procurador são os novos ricos,se eles tiverem renda incompatível para ter uma duzia de fazendas é institucional segundo eles investigar Juiz,e os militares que já estão tendo um gostinho,vão percebendo que tem escroque ao seu lado ganhando até 10 vezes mais que ele,e já que aqui estamos por que não ficar e também entrar nesse bolo.
    E o que eu vejo é uma imprensa nas mãos de políticos fazendo parte desse jogo sujo,onde o bom jornalista virou raridade e com voto de pobreza se quiser ser independente,
    No mais meia noite já falei demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>