8:31Fica, sai, vai, não vai…

Um sábio do Centro Cívico ri muito das especulações sobre a permanência ou não de Beto Richa no governo. Agora ele dá gargalhadas porque o ti-ti-ti aumentou depois da operação da Polícia Federal que prendeu o diretor do DER e foi ao Palácio Iguaçu para dar uma geral na mesa de um assessor lotado na Casa Civil. Ele diz que, se o fofoquê aumentou levando em consideração a proteção que o governador teria para evitar uma prisão, por conta do foro privilegiado, mesmo que os federais o tenham incluído fora dessa investigação, a coisa ficou parecendo o samba do crioulo doido. Explica que, se fosse isso, Richa estaria a descoberto a partir de janeiro de 2019, mas ainda assim com a possibilidade de continuar com a proteção caso eleja o sucessor e se torne secretário de Estado – ou ministro, numa improvável vitória de Geraldo Alckmin na corrida presidencial. Encerra dizendo que, se ele sair em abril, qualquer advogado em início de carreira sabe que as ações em que está citado, principalmente a Quadro Negro, ainda têm um longo caminho para chegar a um desfecho – e isso vai demorar muito mais entre as datas do adeus ao cargo, a eleição e, quem sabe, a posse no Congresso. Mais: no novelo jurídico, a inocência que ele alega nos casos, obviamente, pode ser aceita. Portanto, crava a velha raposa política, o jeito e esperar para conferir.

 

2 ideias sobre “Fica, sai, vai, não vai…

  1. Sergio Silvestre

    O Beto Richa só não pode mudar de partido,no PT por exemplo,ai aqueles tres desembargadores rsrsrsrsr lá do RS vão fazer horas extras e passar seu processo por cima de uns 1000000000000000000000 deles para que seja preso,talvez até sem provas rsrsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>