9:35Choque e realidade

Para juntar lé c0m cré. A Fundação Abrinq divulgou nota nesta semana condenando a ideia estapafúrdia do governo federal em distribuir armas de choque às polícias de todo o Brasil para conter usuários de crack (ler texto abaixo). Na Folha de São Paulo de hoje, trechos do livro autobiográfico do jornalista David Carr, do New York Times, onde ele relata seu inferno pessoal nos anos 80 e 90 como usuário de cocaína e crack. Depois de conseguir retomar o controle sobre sua vida, Carr se tornou um dos um dos principais repórteres dos Estados Unidos.  

Nota pública

Fundação Abrinq – Save the Children repudia uso de armas de choque e spray de pimenta para combater o crack

Fundação Abrinq – Save the Children repudia a ação de usar armas de choque e spray de pimenta para conter os dependentes de crack, conduta prevista no programa “Crack, é possível vencer”, ligado ao Ministério da Justiça. Sob orientação da Secretaria Nacional de Segurança Pública, esta atividade prevê que o uso das armas seja utilizado em caso de extrema necessidade por agentes policiais.
Entendemos que o uso de drogas por crianças e adolescentes em situação de grande vulnerabilidade social é uma questão que merece um olhar multiprofissional.  Problemas psicossociais que vão desde a perda do vínculo familiar, vivência nas ruas e violência dos mais diversos tipos são alguns dos motivos mais citados quando se pergunta a essas crianças e adolescentes do porquê do uso de entorpecentes. Pesquisa realizada pelo CEBRID (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas), em 2003, detectou que o rompimento do vínculo familiar foi um dos fatores mais associativos com o uso diário de drogas. Além disso, 44,3% dos 2807 entrevistados, com idade entre 10 e 18 anos, relataram o desejo de parar ou reduzir o consumo de drogas.  Porém, apenas 0,7% procuraram ajuda em postos de saúde ou hospitais, devido à dificuldade de acesso ao sistema de saúde.
O uso de drogas ilícitas é um tema transversal a diversas áreas governamentaiscomo saúde, educação, desenvolvimento social e justiça e requer uma política de atenção integral ao usuário, seja criança, adolescente ou adulto. Políticas públicas que promovam o cuidado e a saúde devem contemplar ações estruturais nas áreas acima citadas, além de acessibilidade aos bens e serviços públicos.
A utilização de armas de choque e spray de pimenta não resolverão as questões de negligência social que são motivos do uso de entorpecentes. Essa atitude só demonstra uma política social higienista e contrária à promoção e defesa dos direitos humanos.
Fundação Abrinq – Save the Children se posiciona contra ações de repressão a uma situação que notoriamente é identificada como fenômeno social que requer políticas públicas e serviços adequados de atenção à criança e adolescente em risco e sua família. Somos terminantemente contrários a qualquer tipo de violência e à violação dos direitos humanos das crianças e adolescentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>