16:20A VIDA COMO ELA É

ricoestátualiberdade

Em Maceió (Alagoas) – Foto de Ricardo Silva

A história e o abandono*

por Tatiane do Amaral Ribeiro

Frédéric Auguste Bartholdi, autor da estátua que hoje é cartão postal de Nova York, criou apenas três exemplares idênticos do seu monumento, todos eles produzidos com os mesmos materiais. Um deles, medindo cerca de 46 metros e pesando mais ou menos 24.635 toneladas, é o principal, aquele que se encontra hoje em Nova York.

Das outras duas também assinadas por Bartholdi, uma foi enviada para a cidade de Paris, na França. A outra, primeiramente foi enviada para o Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. Porém, devido à grande amizade do escultor francês com o pintor alagoano Rosalvo Ribeiro, a estátua foi transferida para Maceió.

Hoje, existem réplicas espalhadas por todas as partes do mundo, mas somente essas três foram feitas pelas mãos de Bartholdi.

A história da Estátua da Liberdade brasileira

Como foi dito, o protótipo original foi enviado entre os séculos 19 e 20 para a Praça dos 18, que está localizada no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. Não se sabe se como presente para o pintor alagoano Rosalvo Ribeiro ou como troca de peças de arte entre os artistas, ela foi transferida para a cidade de Maceió, Alagoas, onde fez uma verdadeira peregrinação.

Primeiramente, ela foi para a Praça Dois Leões e, em 1918, sendo deslocada para um pedestal no lugar que hoje abriga o Museu da Imagem e do Som de Alagoas — MISA. No ano de 1939, novamente ela foi mudada agora para a Praça do Centenário, no bairro do Farol. Em 1956, o lugar foi ocupado por uma estátua do general Góes Monteiro, e ela foi levada novamente.

Dessa vez, para uma pequena praça recém-construída entre os bairros de Jaraguá e Pajuçara. Então, nos anos 90, a Estátua da Liberdade brasileira voltou para o local de origem, em um pedestal próximo ao MISA, onde está até hoje e pode ser visitada por qualquer pessoa que se interesse pela história do monumento e da cidade.

Situação precária

Porém, as autoridades brasileiras parecem não dar muita atenção para a Estátua da Liberdade enviada por Frédéric Bartholdi para o nosso país, pois ela se encontra hoje em situação de abandono. Segundo o jornalista Maikel Marques, atualmente ela jaz enferrujada em seu pedestal e é ignorada pelos alagoanos e turistas que passam pela praça.

O monumento está esquecido e maltratado pelo tempo em um local habitado por muitos usuários de drogas, como crack, maconha e cocaína, motivo pelo qual as pessoas desistem de visitar o local e conhecer a estátua e sua história. Isso é realmente uma pena, já que todos os símbolos históricos do país atribuem um grande conhecimento às pessoas.

*Publicado no site Megacurioso

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>