7:08A tática de cozinhar o galo

Em 2002 Beto Richa concorreu ao governo do Paraná pela primeira vez. Ficou em terceiro lugar. Roberto Requião foi o eleito, com Alvaro Dias em segundo lugar. O grupo do então governador Jaime Lerner, que estava há oito anos no poder, fez que ia apoiar Richa e cozinhou o galo até sair de cena. Há quem diga que o atual governador, que nunca esqueceu esse episódio, pode ter aprendido a lição e pode aplicá-la agora. Osmar Dias, que era um dos três postulantes ao apoio, pelo jeito já foi descartado, tal as farpas que começa a detonar. E os outros dois? Ok, Richa quer disputar o Senado e precisa estar ao lado de quem vai abençoar para tentar a sua sucessão, mas… em política, até apoio explícito pode ser falso.

Uma ideia sobre “A tática de cozinhar o galo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>