1:53Os sinais de Barbosa

Do enviado especial, o melhor da primeira entrevista do prefeito eleito de Londrina Barbosa Neto (PDT):

- Barbosa estava ao lado dos exatos cinco amigos que iniciaram a sua campanha e lhe deram sustentação logistica, política e entrada junto às classes empresariais e média e média alta de Londrina: os empresários Nélson Brandão, Kentaro Takahara e José Ribeiro (PSC), seu vice; do publicitário Renato Mantovani e do advogado Coutinho Mendes (PDT).
 
- O novo prefeito indicou Kentaro como seu secretário de gestão pública, um virtual “primeiro-ministro”, e o vice, Ribeiro, para a nevrálgica chefia-de-gabinete.
 
- Iniciou com uma frase de efeito: “Não vou roubar e nem vou deixar ninguém roubar!”
 
- Soltou um piparote para matar o sonho de seu suplente Wilson Picler, grande empresário no setor de ensino, de indicar um nome do PDT para a secretaria da Educação: “Quem vai indicar é a rede pública de ensino, os professores de Londrina”.

- Disse que buscará os melhores quadros na sociedade civil (“até no PSDB, se for preciso”) e que não aceita pressões na escolha dos seus auxiliares (“perdem tempo os que acham que não levarei a sério a missão de governar com honestidade e competência”).
 
- Belinatista, nenhum. Indicações de Ricardo Barros? Ene-a-ó-tiu.
 
- O s senador Osmar Dias, candidato de Barbosa ao governo do Estado, se quiser, emplaca o advogado João Graça, delegado do Ministério do Trabalho no Paraná, na Procuradoria Geral do Município. Ou, se João Graça quiser continuar onde está, um nome da confiança dele e do senador pedetista.
 
- O anúncio, em primeira-mão, de a Azul Linhas Aéreas  iniciará suas operações na cidade em 15 de maio, foi outra tacada para causar efeito. Para quem não sabe, os londrinenses decretaram guerra à TAM e à GOL que, com o fim da Transbrasil, Rio-Sul, VASP e Varig (todas voam por lá) estabeleceram um duopólio e praticam tarifas caríssimas por aquelas bandas.

2 ideias sobre “Os sinais de Barbosa

  1. Laertes Stamm

    Demonstrações cabais de maturidade, sentido prático e ético na condução de um Município em péssimas condições, além de uma postura absolutamente condigna com a votação impressionante que recebeu de nós, cidadãos de Londrina. Barbosa é inteligente e demonstra responsabilidade. Que siga nesse caminho, cercado pelos homens decentes que o estão assessorando (prova disso é a presença de Kentaro e dos demais citados, gente da melhor qualidade) e faça o melhor em benefício de nossa cidade. Boa sorte para sua equipe. Londrina merece depois de tanta vergonha e sofrimento.

  2. zero

    Algumas observações se fazem necessárias:
    1) Kentaro Takahara é historicamente ligado ao belinatismo.
    2) Roberto Coutinho (e não Coutinho Mendes, que é outra pessoa) fez parte da trupe que, durante anos, apresentou na CNT de Londrina um telejornal ao meio-dia e se notabilizou por tecer loas a Belinati. Roberto Coutinho, inclusive, foi ligado ao PRN, partido pelo qual Collor se elegeu em 89. Roberto Coutinho, aliás, é amigo de Moysés Leônidas, ex-político visceralmente ligado a Belinati. Roberto Coutinho, aliás, era o diretor de jornalismo da CNT que abria horário para o famoso (em Londrina) programa “Palavra de Belinati”, em que Antonio Belinati comentava baboseiras.
    3) Alguém perguntou se Barbosa iria roubar ou deixar roubar? De onde ele tirou a necessidade de dizer isso? Se ninguém perguntou e ele resolveu responder assim mesmo, talvez só Freud pra explicar… Lembrando que frase muito similar a “Não vou roubar e nem vou deixar ninguém roubar!” foi dita por Lula – e todos certamente se recordam de Waldomiros e mensalões petistas.
    4) O enviado, autor da nota, parece querer afastar qualquer ligação de Barbosa com Belinati, mas a palavra dele (enviado) não vale nada, haja vista que o próprio Barbosa já disse que o vencedor da eleição do dia 29/03 foi o Belinati – ou seja, se o próprio Barbosa não quer se afastar de Belinati, por que o enviado tenta fazer isso?
    5) E fica claro que o enviado a Londrina não é alguém comprometido com a isenção dos fatos. Aliás, por que esse enviado não se identifica? Se ele está apenas fazendo comentários elogiosos/puxa-saquísticos — e nenhuma denúncia grave que precise de anonimato — não tem por que ele esconder o próprio nome, né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>