19:33ZÉ DA SILVA

Tô errado? Tô não! Nasci torto e arrancado a ferro. Me deram um banho. Lembrei disso porque hoje acordei como se tivesse tomado banho por dentro. ô coisa boa essa, sô! Tudo ficou claro como o céu sobre o pinheiro que me protege- e cedinho é iluminado com o dourado do sol que pinta seus grandes braços. Também li aquela coisa que resume a vida em nascer, não entendi o que é pra fazer, e morrer. Há outra, um pouco mais mais, que é assim: nascer, foder e morrer. O segundo verbo a canalhada não entende e tasca a ferrar a vida de todo mundo, no pior sentido. Também não entendi até hoje o que é pra fazer, por isso vou fazendo com a certeza de que, se parar, enferrujo e não vai ser nem preciso a cremação porque vou desmanchar ao vento. A coisa foi tão sei lá, com tudo leve, que até o cofre do peito abriu a porta sozinho e eu juro ter ouvido uma música que me embalou no sono depois do almoço. Olhar eu não olhei. Apenas senti. E tive a certeza de que estou mais vivo do que nunca. Será que foi água benta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>