12:41Tiros no monitor

Do Ombudsman

O jornal Gazeta do Povo anunciou que tirou do ar “a ferramenta que se propunha a receber relatos de doutrinação ideológica nas salas de aula brasileiras, que seriam publicados após rigorosa apuração jornalística”. O “Monitor da Doutrinação” estreou na quarta-feira passada e causou chiadeira, principalmente da APP-Sindicato que, na sexta-feria, publicou nota a respeito. Nunca é demais lembrar que o slogan deste sindicato informa que a escola pública é “território de resistência e luta” e que sua diretoria está atrelada à ideologia do PT e abraçada à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Não há nenhum problema nisso, mas quando tal caminho entra dentro das salas de aula e se tenta vender o peixe do que seria o certo politicamente para alunos… O monitor foi alvejado por que? Se o que fosse exposto aos alunos fosse “de direita”, seria lógica a denúncia? O jornal enfiou a viola no saco e afinou e explicou num texto que é uma cascata de gororobês. Muito esquisito.

 

2 ideias sobre “Tiros no monitor

  1. TOLEDO

    Isso não é nada, bom é o Moro que apresentou a Proposta de Funcionários da Petrobrás agirem como Caguetas Remunerados ( os X 9 ). Isso é influencia do clima de coxinhas dos Curitibocas. Silvestre, aguente esse povo.

  2. Maringas Maciel

    ‘… que seriam publicados após rigorosa apuração jornalística’.
    Rigorosa apuração jornalística? da Gazeta do Povo?
    então tá

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>