12:08Proibido proibir

Phyllis Randall, chefe do Loundoun County Board of Supervisors (órgão equivalente a nossa câmara de vereadores), bloqueou o acesso de Brian Davidson a seu Facebook. Brian obteve decisão judicial para voltar. O juiz federal James Cacheris entendeu que as críticas de Brian não justificavam o bloqueio, pois “a supressão de comentários sobre funcionários eleitos é a quintessência da discriminação, contra a qual a Primeira Emenda [da constituição dos EUA] se opõe”. Um precedente importantíssimo no país em que a liberdade de expressão é valor fundamental, quase sagrado.

É decisão isolada, mas sinaliza o tema que logo chega à Suprema Corte, desta vez contra o presidente Donald Trump, que utiliza seu Twitter em tempo integral para atacar críticos – aos quais não raro bloqueia. A advogada de Brian, Julia Judkins, tocou o ponto sensível: se o Facebook [vale para Twitter e blogs] é pago com dinheiro público e divulga ações públicas, o leitor não pode ser impedido de ingressar na página e emitir opinião. O Brasil tem políticos que se esvaem nas bobagens no Facebook. Precisam levar troco de quem lhes paga também essa fantasia. Quanto tempo demora para copiarmos os EUA? (RD)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>