15:54SOLDA (Alceu Dispor)

Um palhaço é um ser humano como outro qualquer, só que com muito mais frouxos de riso em volta. A vida do palhaço Risadescarninha não poderia ser diferente. Abandonado pelos pais aos 23 anos de idade, em plena Praça da República, ele descobriu que a vida estava ali, na sua frente, com um trinta-e-oito encostado na sua cabeça, fazia um frio danado e passava da meia-noite.

Depois de ter sido massagista de futebol, caixa de banco provador de suspensórios em Osasco e técnico da seleção, o humilde rapaz do interior acaba no picadeiro, quase pisoteado pelos elefantes mancos e cegos do circo.

“Qual é a graça?” conta a trajetória do cidadão Roque Esturjão, o palhaço Risadescarninha, desde o seu romance com a mulher barbada do circo Panis et Circenses até a última aparição pública, em 1950, no Maracanã, como centro- avante do time uruguaio na célebre decisão da Copa de 50. O palhaço é o estilo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>