12:01SALTEADORES TRAPALHÕES

ROGÉRIO DISTÉFANO

Michel Temer avisa que não vai cair. Vasculhem os anteriores: foi sempre assim, o aviso da não-queda é o início da sim-queda.

Temer só cai via renúncia, cansado da sangria pela falta de apoio político e popular. Impiche demora e da cassação via TSE cabe recurso. A bomba ainda estoura nas mãos da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF. Sim, porque os da ordem de substituição a Temer até a eleição seguinte estão mais sujos que pau de galinheiro: Rodrigo Maia, o genro de Moreira Franco, presidente da câmara, e Eunício Oliveira, do senado, como o agravante do peripaque de dias atrás, irritado com denúncia até amena. A história se repete como farsa; aconteceu coisa quase igual com o presidente Café Filho. A diferença de hoje é que a presidente do STF não é nepotista como José Linhares, presidente do STF na época.

Já rolam na rede: a foto de Michel Temer com vestido ‘tomara que caia’ e o lamento de que Marcela Temer possa ser traveco. Como se diz em S. João do Triunfo, “essa gente não perdoam”.

Qual a diferença entre Hermas Camacho, o Marcola, chefe do PCC primeiro comando da capital, e Eduardo Cunha, chefe do PCC primeiro comando do Cunha? O juiz, só o juiz. No mais tudo igual. Os dois estão em prisão especial, comandam o crime de dentro da cadeia e recebem dízimo da quadrilha. Pensando bem, Marcola sai mais barato para o orçamento, pois não assalta o governo.

Temer caiu. Só a ficha que está entalada no seu gogó. O beijo da morte veio com William Bonner, do Jornal Nacional, quando o chamou de ex-presidente.

De onde os corruptos do PT, PSDB, PMDB e outros tiram dinheiro para pagar advogados? Ou os doutores trabalham de graça, o que é de duvidar, ou sobrou grana depois das delações premiadas, algo escondido num colchão do Caribe, ou tem gente que entrega embutido honesto – diferente dessa gente da Friboi, que contou que Aécio Neves pediu R$ 2 m para pagar advogados.

Eduardo Cunha estava muito quieto, perigosamente quieto, sem delação e sem a autobiografia. Por que tanta demora para mandar a fatura para Michel Temer? Tempo gasto para fechar o cálculo. Agora se entende o atraso e a semanada de R$ 500 mil por vinte anos.

A República de Curitiba já tem seu cônsul em Brasília. Chama-se Edson Fachin, instalado no STF. Leva vantagem sobre o presidente da República daqui: não fica passeando pelo mundo a trocar sorrisos e risadinhas com Michel Temer e Aécio Neves. Será que o presidente Moro vai aprender alguma coisa com o exemplo de Fachin? Difícil.

Renan Calheiros, o nosso Frank Underwood, está rindo, feliz da vida. Os amadores caíram de maduros e ele ganha sobrevida, nem precisa mais criar dificuldades para vender as facilidades. O estrondo do último escândalo criou uma densa cortina de fumaça sobre ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>