14:07Processo contra Carli continua e decisão sobre Juri Popular acontece depois das eleições

Do escritório do advogado Elias Mattar Assad:

Processo criminal contra Carli Filho retoma andamento e seguirá para decisão após as eleições.

O Juiz da Segunda Vara do Tribunal do Júri de Curitiba, Dr. Daniel Ribeiro Surdi de Avelar, que preside o processo contra o ex-deputado Carli Filho que trata dos fatos, por ele protagonizados, no dia 7 de maio de 2009, na rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, quase esquina com a rua Paulo Gorski, em Curitiba, que resultou nas mortes de Gilmar Rafael Souza Yared (26) e Carlos Murilo de Almeida (20), despachou determinando o andamento do processo independentemente do retorno das precatórias expedidas, a pedido da defesa, para ouvir testemunhas abonatórias em outros Estados. Ponderou o Juiz: “…a defesa foi intimada por duas vezes para justificar a necessidade da oitiva das testemunhas residentes em outros Estados da Federação, tendo afirmado, sem tecer maiores considerações, que ‘as testemunhas arroladas são essenciais ao contraditório…’ Porém, a expedição de carta precatória não suspende a instrução criminal (…) Assim, uma vez que inexiste qualquer razão para que o presente procedimento fique em ritmo de espera, determino seja dado fiel cumprimento ao despacho de fls. 1807, dando-se vistas às partes para, observando-se a ordem legal e o prazo de cinco dias, apresentarem suas alegações finais em forma de memoriais…”, arrematou o Magistrado.
O advogado Elias Mattar Assad, assistente de acusação em nome da família Yared, fez uma previsão de que “em sendo observados os prazos fixados pelo Juiz e descontados finais de semana, o Ministério Público ficará com o processo provavelmente do dia 13/9 até o dia 20/9. Nós, da Assistência do MP, pegaremos o processo no dia 21/9 e devolveremos no dia 27/9. Finalmente a defesa deverá levar o processo a partir do dia 27/9 até o dia 4/10, ou seja, somente após as eleições é que o processo seguirá ao Juiz para proferir a decisão de pronúncia onde deliberará se o acusado será julgado pelo Tribunal do Júri ou não. Entendo que, por tudo o que consta do processo, será pronunciado e remetido para julgamento pelo tribunal do júri, como todo cidadão em igual situação jurídica”, declarou Assad.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>