15:16Por que não na Lapa?

por Leila Klenk, prefeita da Lapa

 

A decisão do governo brasileiro de trazer médicos estrangeiros para trabalhar no SUS provocou uma discussão que poderia ter sido proveitosa, mas acabou se transformando em pano de fundo para manifestações de irracionalidade e preconceito. Um artigo publicado neste blog embarcou na mesma onda: a pretexto de criticar a medida, expôs desconhecimento e uma série de preconceitos.

 

O autor, o jornalista Célio Heitor Guimarães, gosta de declarar seu amor pela Lapa e o orgulho de ser lapeano. Que bom! Nossa cidade precisa do apoio de todos os lapeanos que querem o seu bem. Mas é preciso que conheçam a Lapa, sua realidade, as pessoas que nela vivem. Para Célio Guimarães, “de um tempo para cá a Lapa tem perdido o rumo”. Querendo apontar “provas” dessa afirmação, ele escreve textualmente: “Agora, a prefeitura abriga uma mulher e, ainda por cima, petista. Mas, como petista, se na Lapa o PT nunca existiu?”. Em seguida, esclarece: “a referência à condição de mulher da alcaide é mero chiste, não me venham com machismo, discriminação e Lei Maria da Penha”.

 

Não chega a ser surpreendente. Esconder a discriminação e o preconceito atrás de supostas brincadeiras é um recurso tão antigo quanto desprezível. Mulheres, negros, gays, pessoas com deficiência e outros grupos discriminados sempre foram – e ainda são – submetidos a “brincadeiras” que revelam preconceitos. Casos de assédio sexual foram – e ainda são – classificados como “brincadeiras” pelos criminosos. Ofensas de caráter racista foram – e ainda são – justificadas como “piadas sem maldade” pelos agressores.

 

Escrevendo este texto, certamente dou ao artigo de Guimarães mais visibilidade e importância do que teve originalmente. Mas não acho que deva me omitir. Se hoje há mulheres que são prefeitas e presidentes de empresas e países, se há um negro no comando da maior potência mundial, se há pessoas com deficiência ativas no mercado de trabalho – se temos avançado, ainda que a duras penas, é porque houve pessoas que se indignaram, que denunciaram, que não aceitaram preconceitos, mesmo que disfarçados de “chistes”.

 

O senhor Guimarães também mostra desconhecimento da realidade política e social da Lapa. Sugere, por exemplo, que o ex-prefeito Sérgio Leone, falecido recentemente, “encerrou a conta e partiu” por inconformismo com a eleição de uma petista para a Prefeitura da Lapa. Gostaria de informá-lo que, nas duas eleições que disputei, tive a honra de contar com o apoio firme de Sérgio Leone, com o qual sempre mantive uma relação respeitosa e fraternal.

 

Guimarães ainda considera que o fato de o PT ter assumido a administração municipal é um dos indicativos de que a Lapa “tem perdido o rumo”. Respeito suas posições político-partidárias e não quero me estender abrindo uma discussão sobre esse tema, mas considero autoritária a postura de qualquer pessoa que julgue legítimas apenas as suas escolhas políticas e desqualifique as demais – atitude comum especialmente em relação às classes menos favorecidas, frequentemente acusadas, no Brasil, de “não saber votar”.

 

Senhor Guimarães, seria útil se o senhor procurasse se informar. Não me consta que me conheça, nem que tenha investigado o trabalho da nossa administração. Estamos à disposição, caso deseje se reaproximar da Lapa.

 

Faço questão de informá-lo também que não procede a afirmação de que o PT “nunca existiu” na Lapa. O partido está organizado no município há 27 anos, fui a segunda candidata mais votada na eleição municipal de 2008 e minha eleição em 2012 é fruto do trabalho sério e contínuo de um grupo que tem um projeto para a cidade e procura implantá-lo com dedicação e seriedade.

 

Quanto aos médicos cubanos, respeito sua opinião, mas não posso aceitar a afirmação de que “os lapeanos de bom senso, conhecidos pelo seu altruísmo, abrem mão do brilhante clínico cubano que lhes foi reservado”. Senhor Guimarães, há inúmeros lapeanos de bom senso entre aqueles que carecem de atendimento médico e esperam pela chegada dos médicos cubanos.

 

Assim como muitas cidades brasileiras, a Lapa enfrenta enormes dificuldades na área da saúde, e a contratação de médicos é uma delas. Somos o quinto maior município do Paraná em extensão territorial e, assim, temos comunidades rurais muito distantes da área urbana, que precisam de atendimento sem que haja médicos dispostos a assumir esses postos. A chegada dos novos médicos é um alento, um avanço que só pode ser mensurado por quem deles precisa.

Precisamos tanto desses médicos quanto muitas pequeninas cidades do Nordeste – região também alvejada pelo preconceito em seu artigo, quando o senhor afirma que “a Lapa mencionada pela Gazeta deve ser algum burgo perdido lá no interior do Piauí ou do Maranhão”.

 

O debate é sempre válido e pode ser pertinente. Mas a saúde da população é mais importante. Compartilhamos o amor pela Lapa, mas, ao contrário de Guimarães, penso que a Lapa não tem dono. É de todos, ilustres ou anônimos, mais ou menos favorecidos. É a estes, os menos favorecidos, que o programa Mais Médicos quer atender, e só eles podem falar por si.

16 ideias sobre “Por que não na Lapa?

  1. Vanderlei

    Não conheço a prefeita pessoalmente, mas cada vez a admiro mais. Tudo indica que ela puxou pelas irmãs: é honesta e trabalhadora. vá em frente, Leila.

  2. Ednei

    Parabens para a Prefeita Leila….
    as cidades tradicionais do Estado do Parana, tem determinadas oligarquias e ” pensadores” que tem grandes dificuldades eem entender os processo evolutivos… é uma pena que Jornais como a Gazeta do Povo permite o uso das suas paginas para a expressão de pensamentos tão conservadores, preconceituosos e de discriminativos…
    Parabens Leila!!!

  3. Roseval Jorge

    Não costumo ler as crônicas do referido Sr. Célio, como, aliás, já não o fazia quando escrevia para um jornal local. Sabe porque? Por me parecer que se acha um daqueles privilegiados seres humanos aos quais o Altíssimo consulta em caso de dúvida. Agora, diante da postagem do Zé Beto, fui em busca do texto e, após analise, concluí que o mesmo teve o que mereceu.

  4. Melquíades R. Silva

    Gostaria de saber o que o tal Célio acha da famosa frase do Interventor Manoel Ribas sobre a Lapa.

  5. leitor

    Bravo, Leila! Um tapa de luvas de pelica mais que merecido no tal Celio, mais um daqueles da turma que confunde preconceito e desconhecimento dos fatos com incorreção política.

  6. Emerson Paranhos

    Parabens Celio Heitor Guimarães pela coragem da opinião. a prefeita e seus cupinchas apelam para esta história de preconceito, de machismo etc…EsquecEm que ninguém é contra os médicos cubanos, NEM CONTRA MULHERES EM CARGOS EXECUTIVOS DE RELEVANCIA e sim contra a péssima e mentirosa administraçãoo do PT a nivel nacional (não sei se aadministração da prefeita é boa ou ruim mas se parecer com o PT nacional, coitada da Lapa, aí sim a legendária será vitima de preconceito. Outra coisa também é ser contra semi escravidão. O teu texto prima por recordar de pessoas que ifluiram na cultura e na vida da legendária Lapa. Não dê maior importância ao PATRULHAMENTO DITATORIAL em defesa do ditador cubano QUE ASSOLA O PAIS.

  7. Emerson Paranhos

    Coluna Carlos Brickmann (*) – ATENÇÃO: COLUNA EXCLUSIVA PARA A EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 25 DE AGOSTO DE 2013

    Há pouco mais de um mês, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que o Governo tinha desistido da importação de médicos cubanos. De repente, não mais que de repente, arranjou quatro mil para pronta entrega. Será Padilha tão bom assim de negociação? Ou antes estaria, perdoe-nos a ousadia, mentindo?

    Cuba, comunista há mais de 50 anos, tem no planejamento centralizado a base de sua estrutura governamental. Como é que, de repente, aparecem quatro mil médicos disponíveis? Estará Cuba, em nome da solidariedade ao Governo brasileiro tão amigo, disposta a sacrificar o atendimento médico à sua população?

    O PT condena a gestão da Saúde por organizações sociais, a seu ver uma inaceitável terceirização. Saúde não deve dar lucro. Pagar um Governo estrangeiro para que envie profissionais de sua escolha e os remunere com parte do que recebe não é terceirização? O que sobra para o Governo cubano não é lucro?

    Grandes empresas do país já foram enquadradas na Lei do Trabalho Escravo porque terceirizaram parte de sua produção para outras, que pagavam abaixo do mínimo, obrigavam seus empregados a morar onde mandavam e aproveitavam-se de sua situação para explorá-los – ou aceitavam ou eram enviados de volta a seus países. Em que diferem os médicos cubanos, obrigados a morar onde Havana mandar, impedidos de optar por outra vida e ganhando aquilo que lhes for determinado pelo Governo cubano, dos imigrantes escravizados?

    São dúvidas razoáveis. E a presidenta com certeza dará respostas excelentas.

    Lula-lá

    Do presidente Lula, em 19 de abril de 2006, ao inaugurar o setor de emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre (fonte, Agência Brasil): “Eu acho que não está longe da gente atingir a perfeição no tratamento de saúde neste país”. Seriam os médicos cubanos o toque que faltava para atingir a perfeição? Se eram, por que o Governo demorou tanto para trazê-los?

    Pensando no futuro

    Tanta gente chegando ao Brasil, em tão pouco tempo, faz surgir outra dúvida: imaginemos que alguns dos cubanos resolvam mudar de vida e pedir asilo político ao Brasil. Os pugilistas cubanos que se atreveram a isso foram presos e enviados de volta a Cuba num avião venezuelano. Já Césare Battisti recebeu asilo político. Qual dos exemplos será seguido se algum médico não quiser voltar?

    Dúvida final.

    Por que os médicos cubanos não podem trazer a família para o Brasil?

  8. Célio Heitor Guimarães

    Obrigado pela participação, Emerson. Felizmente, há quem entenda o que a gente escreve. “Tapa de luva de pelica”, Leitor?! Se foi dado, não me acertou. Como “um daqueles privilegiados seres humanos aos quais o Altíssimo consulta em caso de dúvida”, como diagnosticou aquele outro leitor que não me lê nem me lia, não senti nada. Por isso, reitero tudo o que escrevi sobre a chegada de um “médico” cubano na Lapa paranaense, a despeito da investida raivosa de dona Leila. Quanto à existência do PT na Lapa há 27 anos, foi outra surpresa. Devia viver oculto ou era o conhecido PT Saudações.

  9. jeremias

    Não acredito que a prefeita de uma cidade perdeu tempo com um jornalista desempregado e sem importância alguma

  10. jose

    ZB, lendo o segundo comentário do Sr. Paranhos, tenho uma pergunta a fazer à ilustre Prefeita:

    Por que os médicos cubanos não podem trazer a família para o Brasil?

  11. Miguel

    E engracado. O Celio Guimaraes apoiou a Prefeita. Se elegeu e agora critica? Tem mais que ser desforado mesmo!

  12. Lama

    Quanta bobagem falou esse Célio Guimarães que não é o Vereador Lapeano, Muito despreparado para a vida e mereceu a resposta inteligente da prefeita da Lapa.

  13. José Costa

    O tal jornalista Célio Heitor Guimarães realmente é de uma ignorância e de uma arrogância atroz. O pior é que espertalhões como o tal Emerson Paranhos, que pelo jeito não leu o panfleto do tal Guimarães ou não entendeu, se aproveita do texto para criticar a atual gestão da Lapa. Pelo que sei ele fazia parte do grupo que apoiava o ex-prefeito Furiatti, derrotado nas urnas pela prefeita petista, e tenta atacar a atual gestão. Não viu que o tal Guimarães também atacou seu ex-chefe? A ignorância e os covardes dominam a internet.

  14. Emerson Paranhos

    Ao José Costa:
    Você que não lêu, ou, seu fanatismo ideologico o deixa cego. Não critiquei a administração da prefeita, simplesmente não conheço tal administração. Disse sim, que se ela for com a administração nacional, coitada da Lapa, porque estará convivendo com a mentira e a dissimulação. Quanto ao Célio, ele tem muito mais serviço prestado ao Paraná aol Brasil do que a vil ignorância de vocês imagina. Não é por estar desempregado (se estiver) atualmente, que não pode exprimir sua opinião. Esta afirmação dos petistas sobre o desemprego sim, é o máximo do preconceito e mostra quem realmente é racista.

  15. Emerson Paranhos

    Ainda ao José:
    Não conheço o Sr Furiatti, e nunca graças a Deus, participei dessa coisa nojenta que hoje é a politica. É bom não esquecer que o PT está no poder a 12 anos, cara… e só a agora em vesperas de eleição aluga semi escravos para enganar mais uma vez os brasileiros de boa fé….parem de mentir PTs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>