8:06PENSANDO BEM…

Rogério Distéfano

MARILENE SAAD, 49, mulher do ator Stênio Garcia, 85, ficou três meses no hospital, muito doente. De casa, informa pelas redes sociais que está recuperada, tanto que voltou à rotina sexual com o marido, também temporariamente entrevado por conta de fratura da costela – que o impedia de “se mexer muito”, completa a amorosa Marilene. Nesse “mexer muito” a indiscreta e fogosa Marilene entrega a entrega de Stênio.

AS CONFISSÕES das subcelebridades irritam, o que é que a gente tem a ver com as intimidades deles? O que os outros fazem do pescoço para baixo, tanto na parte de frente como na de trás, é assunto pessoal, deles no caso deles, nosso no nosso caso. As redes sociais inauguraram a difusão exponencial e confessional da recôndita intimidade. Ora direis, inveja vossa, reprimido amigo. E vos direi no entanto, estais certíssimos.

TENHO DIFICULDADE em assimilar as confissões, por exemplo, de uma Gracyanne Barbosa, a mulher do cantor Belo. Todo dia tem selfie da moça – não mais moça, tanto por antiguidade quanto por merecimento. É ela com a barriga negativa, a bunda na nuca, litros de silicone no queixo, na bunda, nos peitos, o nariz afilado pelas plásticas, olhos estanhados pelo mesmo cirurgião, botox do rosto até onde a decência me permite especular.

GRACYANNE já compartilhou com o Brasil que faz o número dois a cada duas semanas, inimiga jurada de fibras e folhas. Semana passada reproduzi seu selfie no colo do marido, a bunda transpondo a nuca, quase a arranhar o teto. Ela repassa que iria “tocar uma pro meu Tudão”, no caso o marido, convenientemente ocultos, Tudão pai e Tudão filho, pelo volume de Gracyanne. Um violão ao lado, anônimo e inútil como o abajur do tango de Gardel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>