8:29PENSANDO BEM…

ROGÉRIO DISTÉFANO

Éramos três

“Ainda, segundo testemunhas, os atiradores apontaram a arma em direção a mãe do tatuador, mas o cão de estimação da família entrou na frente e foi morto pelos bandidos” – nota no portal de notícias sobre o assassinato de Vilson Tatuador, em Campo Largo. Duas vítimas, informa o repórter: Vilson e o cachorro. Errado; três, a crase também foi baleada.

Bem-vindo ao clube

“Eu também me xingo”, desabafo do técnico Rogério Ceni sobre a campanha do São Paulo, beirando a zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Mais um pouco entra em campo com a faixa “Fora, Ceni”.

Só falta a lira

Sei não, mas esse fuzuê de segurança para a votação do pacote do prefeito Greca fez a festa dos punguistas e assaltantes no resto da cidade. Greca não é propriamente um Nero, mas que sabe tocar fogo em nossa Roma, isso ele sabe.

Boa pergunta

O deputado Rafael Greca cresceu no eleitorado de servidores quando enfrentou a polícia que os reprimia em manifestação na assembleia legislativa. O prefeito Rafael Greca continua do mesmo tamanho depois de reprimir os servidores que se manifestaram contra seu pacote fiscal?

Resiliência

“Nada nos destruirá”, a reação de Michel Temer ao parecer de Rodrigo Janot sobre sua suposta corrupção. Se as baratas falassem, diriam o mesmo. Estão por aí há 300 milhões de anos. Elas e os políticos.

Uma droga

A FAB informa que o avião que interceptou, carregado com 500 kg de cocaína, decolou de uma fazenda do grupo controlado pelo ministro Blairo Maggi, da Agricultura. O governo federal é mesmo uma droga.

Vampiro trapalhão

Michel Temer esteve na Rússia longeva do Glasnost e do golpe de Boris Yeltsin e chamou o país de União Soviética. Na Noruega referiu-se ao rei da Suécia. O que ele aprendeu em trinta anos de deputado federal e oito de vice-presidente? A trocar as bolas que nem Dilma.

Orcrim Cabral

A família de Sérgio Cabral demonstra ser organização criminosa. Primeiro o chefão ex-governador fez de tudo e mais um pouco com as propinas e as joias para ele e mulher; depois a mulher lavava dinheiro no escritório; como era tanto dinheiro e pouca gente, Cabral recorreu à ex-mulher e à atual cunhada, uma para lavar, outra para esconder joias. Faltou alguém? Sim, a empregada, que levou na cara dura joias da patroa para vender em joalheria – e para azar seu foi filmada e depois detida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>