8:42PENSANDO BEM…

ROGÉRIO DISTÉFANO

Indignação na rede: custou R$ 2 mi ao orçamento a absolvição de Michel Temer no TSE. E quando custaria a condenação? Mateus só olha os seus.

Aécio Neves trabalha para que o PSDB continue na base de apoio a Michel Temer. Os dois confundem boia de salvação com abraço de afogado.

Michel Temer assumiu o lado negro, até agora camuflado: mantém os ministros denunciados na Justiça (desnecessário lembrar a causa dos processos; a quem esqueceu, corrupção). Tinha dito que não faria. Agora fará. Como os Faria do reino potiguar.

A moça mexeu no vespeiro, agora aguente. Cantora paulista, filha e sobrinha de sertanejos goianos, conta que usou sêmen nos cabelos. Devia registrar o produto: xamporra.

O Senado ainda não cumpriu a ordem do STF de suspender Aécio Neves do exercício do mandato. Os colegas são zelosos das prerrogativas da Casa. Afinal o senador limpo de hoje pode ser o sujinho de amanhã. Daí a lealdade. A língua portuguesa é pobre para descrever o fenômeno. Então vamos à italiana: omertà, o código dos os mafiosos.

O Brasil não é a Venezuela, toc toc toc. Somos outra coisa, temos que reconhecer para não afundar de vez nossa autoestima. O PT não conseguiu apodrecer o país como Maduro fez com a Venezuela. Estivemos perto. Se José Dirceu, Delúbio, André Vargas não tivessem escorregado no sabão da Lava Jato poderíamos ter nosso ensaio bolivariano.

No momento vivemos episódio parecido, ao nosso estilo farsesco: a disputa entre o STF e o senado; um manda afastar senador e o outro não obedece. Na Venezuela o legislativo mandou o executivo convocar eleições e o judiciário deu-lhe um chega para lá. É só faltar papel higiênico aqui e a mímica da farsa fica mais borrada. Estamos tentando. Com empenho.

Gilmar Mendes, ministro presidente do TSE, está indignado com o rumor de que o governo federal estaria a investigar Rodrigo Janot e Édson Fachin. O fiel da balança do poder de Michel Temer acrescenta um grão de sal e inclui o ministério público e a polícia federal entre os temíveis arapongas de magistrados. Gilmar bem que podia sugerir que o governo investigue seus ministros. Ou que o judiciário investigue alguns juízes.

O WATERLOO DE BETO RICHA

Tenho verdadeira adoração pela Xênia Mello, a doce menina que se candidatou a prefeito de Curitiba na última eleição – não sei por qual partido, Rede ou Psol, pois, fui de Fruet no primeiro turno. Só lembro isso porque vou criticar a querida Xênia. Não só ela, também a enfiada de companheiros que a acompanharam em ação popular contra o governador e a secretária do Desenvolvimento Social (em parêntese: nome absurdo, só Reinaldo Bessa tem direito ao título e assim mesmo fora do governo).

É que o governador e a secretária, nas horas vagas sua mulher, pois acumula a função de primeira dama, vogaram em Paris a serviço, em busca de investimentos e empregos para o Paraná. Grita alimentada pela imprensa, que ignorou o depois e por causa: melhorou a qualidade do brie e do camembert produzidos na Witmarsum. A inveja dos esquerdistas é uma arte. Sabem por onde pegaram o governador? Na diária do hotel. Perdão, na escolha do hotel porque a diária depende do hotel.

Beto e Fernanda dormiram no Napoleón, diária de R$ 1 mil, ou 250 euros. Xênia e sua turma queriam que a Casa Civil fosse ao Trivago, o saite do carinha chato que oferece hotéis. Não acho que Beto e Fernanda devessem dormir em hotéis dos filmes de Marcel Carné. Como conheço o eleitorado anti Beto diria: Napoleón, jamé; fique no Hotel Bonaparte, o sobrenome do imperador. Conheço o Bonaparte, onde dormi dois dias. O Napoleón acabou sendo o Waterloo de Beto Richa.

Não conheço o Napoleón, bem acima do meu contracheque. O Bonaparte é honesto, apesar de muquifo; é central, baratinho para quem ganha em euros ou diárias, quartinhos, corredores estreitos, elevadores do tempo do Jaime Lerner deles, o prefeito Haussmann. Esquecessem o prenome e optassem pelo sobrenome, Beto e Fernanda não teriam a xata da Xênia a lhes pegar no pé. Um dia, Xênia e os parceiros chegam ao poder. Farão como os petistas, seus irmãos de criação, e irão jogar na conta da Viúva comida, bebida e colchões do bom e do melhor.

 

2 ideias sobre “PENSANDO BEM…

  1. Oto Lindenbrock Neto

    Prezado Rogério: existe uma tentação generalizada em dizer que o Brasil com o PT estava virando uma Venezuela. O PT afundou o país, isso é fato. Mas o que transformou a Venezuela em “República Socialista Bolivariana” é exatamente o que acontece agora no Brasil. Um congresso coalhado de corruptos ,um judiciário contaminado e desacreditado e uma classe empresarial intimamente ligada com o congresso corrupto e o judiciário desfigurado pelos “Gilmares Mendes” locais. Caldo de cultura ideal para o surgimento de um salvador da pátria como Hugo Chaves. Aqui pode vir a ser alguém da direita ( acredito que a esquerda vai passar por um longo período de letargia), ou oriundo do judiciário… Mas de qualquer forma estamos caminhando para ser uma Venezuela, ainda que com sinais ideológicos invertidos. Saudações.

  2. Zé Mané

    Data vênia caro Rogério, mas mais uma vez vou discordar de você, não se trata de implicância minha, nada disto é pelo simples fato de que gente como a Xênia dificilmente um dia chegará ao Poder, antes dela, se Deus bobear e permitir, outros partidos da extrema esquerda já nos terão transformado em Venezuela e, tal como esta a vez da Xênia nunca vai chegar. Esperar-se que o governador em viagem oficial vá dormir em muquifo só porque gente como a Xênia quer não é mais do que um absurdo, é burrice mesmo. Vê se cresce Xênia,a inda dá tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>