10:28PENSANDO BEM…

ROGÉRIO DISTÉFANO

Michel Temer safado no TSE instalou-se a estupidez no Brasil. Antes que me interpretem mal esclareço: o safado significa apenas e tão somente o particípio passado do verbo safar, ou seja, Michel Temer safou-se no TSE. Outro esclarecimento: se o TSE safou Temer não significa que o tribunal – ou a estreita maioria que lhe deu fôlego (nem ouso dizer sobrevida, como o presidente Lula, cada dia mais cultivado) – absolveu o presidente de todos seus pecados. Os pecados estão aí, chamam a atenção de todos, não se passou uma borracha sobre as imprudências e impudências de Temer. Ele ganhou fôlego, no more, no less.

Quero tratar da estupidez que se instalou no Brasil. O verbo instalar é mal empregado, soa temporário, transitório, transiente. A estupidez está aí, latente ou ativa, depende do momento. Neste momento buscamos duas coisas: 1) a justificativa para detonar Michel Temer de uma vez por todas; 2) a solução para lancetar o tumor purulento que Lava Jato, delações e o caso no TSE trouxeram à tona. Vamos por partes, primeiro a primeira, a justificativa para detonar Michel Temer. Está na grande imprensa quando replica a reportagem da revista Veja, de que a ABIN teria sido acionada para levantar a roupa suja do ministro Edson Fachin.

Tem gente que compra matéria impressa. Aprendemos que matéria impressa consegue ser pior que matéria virtual. ABIN investigando Fachin não dá rima, quanto mais solução. O que irão descobrir sobre Fachin? O que vão levantar que já não foi tentado por seus adversários em suas quatro indicações para o STF? Se Fachin tem um defeito, este é a sua habilidade. O pior defeito de Fachin foi adotar a teoria do medalhão, de Machado de Assis, como way of life. Nada além disso. De outro lado, alguém acha que Michel Temer arriscaria se expor no desvio de finalidade de meter arapongas na cola de ministro do STF que o investiga?

Número dois, a solução, que perdoem, é como o velho e conhecido número dois: Joaquim Barbosa presidente. É a solução imediatista de coxinhas trêfegos, dondocas de plantão no Facebook e os que usam o cérebro para ejaculações precoces. Quem foi Joaquim Barbosa? O juiz certo no momento certo. Nada mais. Que teve a percepção de também deixar de ser juiz no momento certo. Ele atuou em circunstâncias especiais, que especialmente favoreciam sua atuação. Querer que ele salve o Brasil é ignorar tudo sobre o movimento das instituições. No íntimo, antecipo, quem o propõe como salvador quer, na realidade, um ditador.

Joaquim Barbosa presidente, pois sim. Como ele vai se relacionar no jogo das instituições, do executivo com legislativo e judiciário. Ele, posto na presidência do STF por força da regra da alternância, não conseguia manter relações harmônicas com seus pares. Como faria com um legislativo dominado por renans e jucás, ou difuso na geléia fisiológica e impessoal do centrão e bancadas evangélicas? Teria equilíbrio e capacidade para enfrentar esses escolhos da política? Quem não conhece a História está condenado a repeti-la, disse o inglês Edmund Burke sobre a Revolução Francesa. Hora de ler sobre a presidência Jânio Quadros.

Uma ideia sobre “PENSANDO BEM…

  1. Sergio Silvestre

    A “republica de Cúritiba”quer o Moro e sua esposa de vice,chapa puro sangue e que a capital Brasilia seja transferida para o Sul bem ai na Praça Osório onde será demolido os prédios velhos para erguer os Palácios.e ai se vai os ratos de verdade para chegar ai os ratos políticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>