13:09PENSANDO BEM…

ROGÉRIO DISTÉFANO

“Ele delataria até a mãe”Lula, sobre Leo Pinheiro, diretor da OAS, empreiteira do petrolão. Em delação premiada, Pinheiro contou da mesada de 200 mil dólares que a empresa pagou a Lula. Os adoradores de Lula não meditam sobre as palavras do messias. Como esse “delataria a mãe”. A crítica de Lula não é a possíveis mentiras de Leo Pinheiro; é ao ato de delatar, ação condenável na criminalidade, quebra da honra entre os criminosos.

A lei do abuso de autoridade, projeto a cargo do senador Roberto Requião, não vem para proteger você, eu e a torcida do Paraná Clube contra a prepotência do poder. Quando isso acontece conosco – e já me aconteceu -, a gente se protege com os instrumentos que a lei nos oferece. Essa lei que o senador relata como seu canto de cisne no Senado, vem para proteger os políticos sem mandado, os que não têm foro privilegiado. É lei de encomenda para quem está sem recondução segura ao Senado, como Renan Calheiros e Gleisi Hoffmann, para citar os mais loquazes e favoráveis.

A audiência de Lula foi adiada. Motivo, a segurança, reclamada pela polícia federal e secretaria de segurança do Estado. Os preparativos: isolamento de quarteirões em torno do prédio da J. Federal, que será protegido por agentes embalados e arame farpado; os moradores da vizinhança serão cadastrados para evitar infiltração de combatentes dos lados pró e contra Lula. Aos poucos, Lula e PT despem a fantasia: lixam-se para as instituições do Estado, pois instalaram seu líder acima do Estado, acima das leis, acima das instituições.

Lula não foi condenado, dificilmente o será. Ainda que o seja, para eventuais violações de direito no processo, existem os recursos da lei e os tribunais. Não é isso que está em jogo para o lulismo. O que está em jogo na audiência – ou em qualquer audiência para a qual Lula seja intimado – é a própria figura de Lula, inatingível e inatacável. Lula está entre a rainha da Inglaterra, a quem se assegura a imunidade absoluta (the queen can do no wrong, a rainha não comete erros) e o papa, a quem se atribui o dogma da infalibilidade.

Uma ideia sobre “PENSANDO BEM…

  1. Zé Mané

    Mas caro Rogério, nãos será o 51 uma terceira hipótese, a mistura da rainha da Inglaterra com o papa Francisco, ele reúne o melhor dos dois, can do no wrong da rainha e a infalibilidade papal do papa Francisco? O cara se tem como sendo o cara, a ele nem o Cenador Maluco consegue fazer sombra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>