15:58Os sindicatos se preocupam com os trabalhadores?

por Leandro Narloch

Se os sindicatos brasileiros realmente se preocupassem com os trabalhadores, não sairiam às ruas contra as reformas ou o ajuste fiscal.

Defenderiam radicalmente a reforma da Previdência, pois os trabalhadores mais pobres pagam proporcionalmente uma parte maior de sua renda ao INSS e correm o risco de não ter nenhuma aposentadoria no futuro.

Se os sindicatos brasileiros realmente se preocupassem com os trabalhadores, seriam obcecados pelo aumento da produtividade, a verdadeira força capaz de elevar o teto dos salários e enriquecer os países.

Entenderiam que é a lei da oferta e procura, e não leis de salário mínimo, que aumentam o piso dos salários.

Defenderiam com entusiasmo a entrada de capital estrangeiro, a segurança jurídica para investimentos e a estabilidade de regras, para aumentar a quantidade e qualidade das vagas de trabalho no país.

Lutariam pelo fim do FGTS, esse confisco travestido de direito, que por décadas mordeu o salário dos trabalhadores e os remunerou a uma taxa vergonhosa, muito abaixo da inflação.

Jamais apoiariam políticos que criaram a pior situação possível para os pobres: a maior recessão da história, que provocou o fechamento de 3 milhões de vagas e obrigou os brasileiros a se sujeitarem a salários menores.

Pressionariam o governo para controlar gastos e conter a inflação, que corrói o poder de compra dos assalariados.

Concentrariam energias em assessorar os trabalhadores com melhores contratos de trabalho, planos de saúde e cursos de qualificação.

Se os mais de 15 mil sindicatos que existem no Brasil realmente se preocupassem com os trabalhadores, defenderiam o fim da CLT, a mais bem-sucedida política de exclusão dos pobres do mercado formal de trabalho.

*Publicado na Gazeta do Povo

2 ideias sobre “Os sindicatos se preocupam com os trabalhadores?

  1. Zé Ninguém

    kkkk o Leandro parece que não escreve para a gazeta da RTP, como é que o editor deixou escapar este texto ? Ih, alguém segunda-feira já vai para a fila da Agência do Trabalhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>