11:21Oberlan Rossetim

O desejo, sol de canavial,
Fez vermelho o preto e o pobre
Do país do carnaval.
Coração-bandeira.
Militância dos arrepios.
Ouve-se a multidão dos pelos
Gritarem por justiça.
Esta pele, brasileira, minha,
Não é estrangeira, nem palco de estratégias.
Todo o território nacional é o meu corpo.
E quero estar completamente tomado pela sua histeria, para a minha ser história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>