7:50O primeiro e o último

No ranking de 2017 do site http://www.politicos.org.br/, o deputado federal londrinense Luiz Carlos Hauly (PSDB) ficou em primeiro lugar entre todos os 513 parlamentares do Brasil, com 219 pontos positivos. Já o maringaense Enio Verri (PT), foi o pior da bancada paranaense e 489ª na classificação geral. Ele teve 183 pontos negativos. 

 

3 ideias sobre “O primeiro e o último

  1. Guilherme

    O é que pior, uma entidade que se apresenta como site de pesquisa, mas cujos critérios de avaliação são obscuros, confusos e imprecisos, ou um veículo de comunicação que veicula os resultados das pesquisas do referido site, sem criticidade, colocando sua credibilidade em segundo plano? A quem interessa ter credibilidade? Abaixo, segue nota do PT de Maringá acerca da pesquisa do http://www.politicos.org.br

    Quem afere os critérios de pesquisa?

    Um site chamado “Ranking dos Políticos” se declara classificador de parlamentares, do melhor para o pior. Como garantia da fidelidade de seus dados, o site alega que usa informações oficiais e que os pontos ganhos ou perdidos, atribuídos por critérios incertos, estão documentados. Os parlamentares são avaliados nos quesitos: gastos, assiduidade, fidelidade partidária e processos judiciais.

    É muito simples avaliar um(a) parlamentar pelo consumo da cota de gastos do mandato. Os gabinetes mais econômicos são os mais bem classificados, segundo os critérios de economicidade do site. Já no quesito “Qualidade Legislativa”, em que o site classifica o parlamentar segundo seu voto em determinadas propostas, o critério de avaliação torna-se absolutamente incompreensível.

    Segundo o Conselho de Avaliação do site, a análise dos votos dos parlamentares leva em conta, principalmente, sua contribuição para o combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício de dinheiro público. Sem qualquer clareza, encontra-se parlamentares que votaram contra a reforma trabalhista, a terceirização e a reforma do Ensino Médio e, por isso, receberam pontuação negativa. Já quem votou a favor dessas matérias, recebeu pontos positivos. Ou seja, o critério foi a/o parlamentar ser a favor, ou contra.

    Ao votar sim, ou não, na reforma do Ensino Médio, por exemplo, qual a contribuição do voto da/o parlamentar para o combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício de dinheiro público? A mesma pergunta se aplica para as demais votações das propostas analisadas pelo site. Por que um parlamentar que votou a favor da reforma trabalhista recebe pontos positivos, e um que votou contrário, recebe pontos negativos? Qual é o critério para atribuir essa pontuação?

    A despeito da tendência ideológica do site, haja vista sua formação, o verdadeiro problema dessa fonte de informação é a tendência do critério avaliativo conforme o espectro ideológico a que pertença a/o parlamentar. Pior que a existência de um canal de informação tendencioso e incorreto, é saber que existem veículos de comunicação que utilizam dados absolutamente questionáveis para produzir matérias jornalísticas. É com assinar um atestado de descredibilidade.

    PT Maringá

  2. Zé Ninguém

    Que contraste entre estes pés vermelhos, enquanto um fica em primeiro lugar, honrando os votos que recebeu, o outro é pessimamente avaliado. Mas fazer o quê, a gente só faz o que sabe e, quem não sabe nada não faz anda, ou melhor, faz demagogia para parecer que está fazendo alguma coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>