8:46O mantra do Palácio Iguaçu

O mantra não cantado, mas pensado no Palácio Iguaçu, desde que explodiu a primeira bomba antes da da virada do ano com o pacotaço dos impostos, é o refrão da famosa música de Nelson Ned “Tudo passa, tudo passará”. Não passou nos primeiros seis meses do ano – e o caldo do angu engrossou muito com a greve dos professores, o reajuste dos salários dos servidores, a prisão de Luiz Abi, o parente distante que sempre estava perto, o erro estratégico absurdo e o resultado quase trágico do confronto na Praça Nossa Senhora de Salete durante a votação das mudanças na Paranáprevidência, a demissão de secretários, etc. Na semana que passou os integrantes da tropa de choque do governador, e o próprio, conseguiram dar uma respirada e um deles confessou que “nunca antes na trajetória política de Beto Richa” houve uma concentração de tantos fatos negativos. Claro que não se assumiu culpa no cartório, mesmo porque essa linguagem não existe para quem está no poder e tentando sair de uma crise. A verdade é que tudo aconteceu dentro de um panorama sombrio do país, mas onde se seguiu a cartilha da maquiagem para se manter no poder e depois se tentar arrumar a casa – como fez Dilma Rousseff. Deu certo nas urnas, mas hoje a presidente e o governador estão com os índices de popularidade na beira do ralo e a queda de Richa é mais espetacular, porque sempre esteve em torno da aprovação de 70% – e seus marqueteiros sempre venderam bem este peixe. Uma semana sem bombas explodindo no colo e com uma barragem de artefatos atômicas caindo no governo federal por conta das delações da Operação Lava Jato provavelmente conseguiram dar o primeiro final de semana tranquilo ao governador. Da secretaria da Fazenda sai a informação que a crise persiste, o cofre está vazio, mas que as contas começam a entrar naquela situação de “administráveis”. Na Assembleia Legislativa os deputados da Oposição contribuíram com o despreparo para situações propícias para a arte da demolição. Preferiram o espetáculo e o megafone, como se fossem militantes a serviço dos sindicatos dos servidores – e política não se faz assim, principalmente quando se é do contra. O número de deputados não importa – e o exemplo do estrago que fez de forma constante a oposição ao governo de Roberto Requião deveria servir de exemplo. Em 200 dias Richa viu derreter a blindagem que o cercava, reverter a condição de herdeiro político de José Richa, sentiu nas costas o peso de pertencer ao PSDB e, por tudo o que aconteceu, se transformar no exemplo de que integrantes do andar de cima do ninho nacional também podem ser impichados. Agora está exposto. O que vai acontecer, é impossível prever, assim como saber se o mantra do Nelson Ned vai dar resultado nos três anos e meio de governo que restam.

3 ideias sobre “O mantra do Palácio Iguaçu

  1. Indignado

    Não somente ele, mas muitos dirigentes com cargoos eletivos ou comissionados (ou concursados, onde tem muito pilantra/canalha também); se restasse algum resquício de honestidade, já teria entregue o cargo no primeiro mandato. País de OTÁRIOS E CANALHAS, SEMPRE!!!

  2. Sergio Silvestre

    O Turco vai ter que vender os tacos de golfe para pagar as raquetes de tênis,mas não corre nenhum risco com nossa justiça que usa botons de irmandades obscuras e acostumadas com esses esquemas,só não pode roubar aqui no Brasil o Pobre.
    So vai ter justiça nesse Pais no dia que o Marceneiro,encanador etc morar na mesma região e com os mesmos salários dos homens da lei.Ai sim teremos leis cumpridas e justiça para todos.
    Tenho um Português amigo meu que está nos EUA,em Salt Lake City e mora ao lado do juiz.
    Aqui eles moram ao lado dos políticos,em aptos e casas suntuosas,compartilham da mesma churrasqueira,bebem juntos e tudo fica dominado.
    É por essas e outras que podemos concluir que o Beto Richa e toda Republica do Libano,vão continuar fazendo mazelas no Brasil até por que adoramos esses caras bom de bico.

  3. Clint Eastwood

    Betinho Banana sabe que o ano que vem é ano de eleição, desde 1º de janeiro até a eleição de outubro não vai acontecer nada. Só politicagem o ano todo. Aí o eleitor se esquece as estripulias perpetradas pelo piá de prédio e do seu secretariado inepto, e fica tudo como sempre deveria ter ficado. Assim salvam-se todos, Betinho Banana e seus cuecas de seda, a sua base aliada e a oposição como sempre, ladrando enquanto a caravana passa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>