20:44O jogo ficava mais emocionante do que era

por JamurJr.

O microfone da Rádio Cultura do Paraná foi o primeiro que enfrentei quando subi a serra e deixei para trás alguns anos de aprendizado como locutor na Rádio Difusora de Paranaguá. Na Cultura, uma das mais ouvidas da época, encontrei profissionais consagrados, como Souza Miranda, Ciro Cesar, Jair de Souza,  José Vicente, Osman de Oliveira, Garcia Redondo, entre tantos outros. O que me chamou a atenção foi a dupla  que fazia a cobertura esportiva: Aloar Ribeiro e Marcus Aurélio de Castro. Aloar, vibrante, detalhista, deixava o jogo mais emocionante do que era – e Marcus Aurélio, profundo conhecedor do nosso futebol, tinha grande facilidade para encaixar seus comentários no lugar certo. Aloar nos deixou. Ficamos sem mais um dos grandes valores do nosso rádio.

Uma ideia sobre “O jogo ficava mais emocionante do que era

  1. Sergio Silvestre

    Me lembro de um jogo no antigo chiqueiro do atlético com o Londrina e o arbitro Eraldo Palmerine não era um juiz Ladrão como o “‘Roman” que anula gol olímpico ,mas era como todos são torcedores do Coritiba e Atlético,e nesse jogo foi anulado dois gols legais do Londrina,a té que acertaram do meio da rua no anglo e esse gol não teve jeito de anular,mas aos 54 minutos do segundo tempo o atlético conseguiu empatar num desmaio do meia atleticano que o Palmerine deu pênalti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>