20:18O inferno dos vivos

de Ítalo Calvino

O inferno dos vivos não é algo que será; se existe, é aquele que já está aqui, o inferno no qual vivemos todos os dias, que formamos estando juntos. Existem duas maneiras de não sofrer. A primeira é fácil para a maioria das pessoas: aceitar o inferno e tornar-se parte deste até o ponto de deixar de percebê-lo. A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas: tentar saber reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço.

Uma ideia sobre “O inferno dos vivos

  1. Sergio Silvestre

    Ter que sair cedo e pegar dois busão já martirizado pelas contas de fim de mes,com ameaça do patrão em demiti-lo,visitar a mãe doente no hospital publico,cuidar dos filhos para que traficantes não p levem,passar vontade quando sai com os filhos nos shoopings,tirar algo do carrinho de compras onde o parco salario não cobre,água,luz ,telefone,fiscal da prefeitura querendo embargar a meia agua,gasolina e gás sumindo todo dia,ameaças ,roubos e dividas com juros nas alturas.
    Esse é o inferno do trabalhador brasileiro,com mais de 500 demônios todos os dias lhes fazendo normas para ele cada dia viver pior.
    Só existe uma ala,a do andar de cima,esses sim vivem bem,.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>