15:49O filho e a escolha

Do Analista dos Planaltos 

Deputados e prefeitos do PMDB do Paraná já estão certos de que uma nova candidatura de Roberto Requião ao governo dizimará a bancada peemedebista na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Trata-se agora de uma questão de sobrevivência. Segundo cálculos de quem enfrenta eleições há várias décadas, sem uma boa coligação o partido deverá eleger, com muito sofrimento, dois deputados estaduais. Número muito abaixo dos 14 deputados eleitos em 2006, dos dez em 2010 e dos oito em 2014. Por isso mesmo está em andamento uma articulação para aproximar Requião e Osmar Dias, com quem se sentem mais seguros para uma chapa que pode ter PMDB, PDT e PSB. As conversas não tem sido muito frutíferas, já que todos conhecem a forma de Requião de fazer política: bravata e soco na mesa. Mas o argumento para convencer Requião agora é de que, sem essa coligação, o seu filho Maurício sairia certamente derrotado nas urnas. Considerando a atual bancada, Requião Filho foi o menos votado do partido.

3 ideias sobre “O filho e a escolha

  1. Zé Mané

    Quem quer se unir a um cara que não consegue se unir com ninguém? Maria Louca sempre foi aliado dele mesmo e da sua famiglia, vai enterrar o partido só para garantir o emprego do Bob Filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>