10:26O fenômeno Richa

Do Analista dos Planaltos

Beto Richa foi o grande fenômeno negativo destas eleições. Um Bolsonaro às avessas. Nunca antes na história desse país, como gosta de dizer o Lula para enfatizar suas afirmações, um ex- governador renunciou para disputar o mandato de Senador e chegou entre os últimos. Não só isso, perdeu para candidatos nanicos e na maioria das urnas fez dez por cento dos votos dos primeiros colocados. Triste fato para registro histórico.

Claro, as circunstâncias de prisões, delações e processos contribuíram e muito, mas que foi inusitado e humilhante, não resta dúvida. Até em municípios como Pinhais, que lhe deve a duplicação da avenida de acesso, uma obra magnífica, lhe negou os votos. As denúncias e as acusações de desvios falaram muito mais forte.

E agora, o que fazer no fundo do poço ? Só o tempo dirá se será possível refazer algo da trajetória ou abandonar de vez a política como já cogitou o próprio Richa em entrevistas.

Já Roberto Requião, o outro grande derrotado, tem o consolo do final de carreira, pela avançada idade, e o gozo das aposentadorias generosas e privilegiadas ( para dizer o mínimo) como a de Governador que tanto criticou em campanhas e que hoje usufrui com tranquilidade e satisfação na companhia de assessores em fartas mesas com vinhos das melhores safras – estes, que ao contrário dos votos nunca faltarão.

2 ideias sobre “O fenômeno Richa

  1. pedro josé

    Requião é fanfarrão, hipócrita, autoritário e atrasado. Foi governador 3 vezes e jamais teve plataforma de governo com políticas avançadas, desenvolvimentistas, olhando para a frente. Nunca fez governos que aglutinassem a sociedade paranaense em prol do estado, sempre foi sectário, agindo como imperador… ou rei… ReiQuião… Leitinho para as crianças, tarifa reduzida da copel e sanepar. Nada mais!!! Como senador, só gostava de viajar bancado pelas associações parlamentares e pela Camara Federal, bons vinhos, bons restaurantes, viagem aérea de primeira classe, hotéis luxuosos. E defender regimes autoritários como na Venezuela. Agora vai cair na real, virando inspetor de quarteirão ali no bigorrilho onde mora. Vai poder ajudar também, como voluntário, a organizar o trânsito na entrada e saída de alunos do colégio positivo perto da casa dele.

  2. Sergio

    O discurso de melhor prefeito nao cola mais, Curitiba foi planejado por Lerner e Taniguchi. Beto so usufruiu do plano anteriormente projetado, inclusive, com material humano e técnico selecionado pelo prefeito de mandatos anterior. So gozou daquilo que foi projetado antes.
    campanha do primeiro mandato Beto reuniu lideranças regionais em todo PR e conseguiu um bloco de apoio para as propostas.
    Vencida eleição, foi blindado pelo grupo mais proximo e muitas das lideranças, aqueles que seguiram a risca orientação do comando central, ficaram com pincel na mao.
    Campanha do segundo mandato, as decisoes foram centralizadas – as denuncias de propinas, subordo, etc….. explica o motivo.
    O segundo mandato entao, ficou totalmente blindado-isolado e talvez ocupado com as negociatas das propinas que vieram a tona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>