15:18O diploma e o fuzuê dos advogados

Maior fuzuê nos bastidores advocatícios por conta da carta que Rafaella Munhoz da Rocha enviou ao deputado estadual Ney Leprevost recusando o diploma de “menção honrosa” que recebeu do parlamentar. A pancadaria vai da data da posteagem, bem depois do dia do advogado, que é 11 de agosto, ao fato de ela afirmar que nunca se encontrou com o deputado e muito menos ele esteve em seu escritório, daí estranhar o mimo. O advogado Mauricio Kaminski foi mais grosso. Utilizou os termos imortalizados por Roberto Requião naquela história da faixa.

3 ideias sobre “O diploma e o fuzuê dos advogados

  1. luizito

    Estranha essa história. Não seria mais correto e sem alardes a simples recusa, ou de forma educada poderia ter agradecido e recusar.
    Este tipo de comportamento deixa várias interpretações que cada um pode pensar o que quiser.
    Acho que para melhor ficar essa história o deputado Ney Leprevost deveria apresentar suas razões e motivação de ter feito a “honraria” que foi interpretada como um “mimo”.

  2. jose

    É pra isso que serve um deputado???
    Sinceramente não há porque este tipo de “homenagem”.
    E provavelmente usou dinheiro público para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>