11:20Nota falsa

A assessoria Gleisi Hoffmann entrou em contato com o signatário para informar que a nota do jornalista Leandro Mazzini aqui reproduzida estava baseada numa mensagem falsa do twitter atribuída à senadora que é presidente nacional do PT. Razão lógica apontada: além de ela não ter escrito ou falado o que foi publicado, não é possível se publicar mensagem com mais de 140 caracteres. Segundo a assessoria, coincidência ou não, a “invenção” apareceu logo depois de o Instituto Vox Populi ter divulgado pesquisa onde o ex-presidente Lula da Silva é apontado como vencedor das eleições presidenciais do ano que vem em qualquer cenário, confirmando o que outros institutos têm divulgado (ler abaixo). Registro feito, o blog retirou a nota e pede desculpas pela publicação.

Da Rede Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceria em todos os cenários se as eleições presidenciais fossem hoje. De acordo com pesquisa do Instituto Vox Populi, realizada a pedido da CUT, Lula teria 53% dos votos se disputasse um segundo turno com Jair Bolsonaro (PEN) ou com o prefeito paulistano, João Doria (PSDB). E teria 52% no confronto com Marina Silva (Rede) ou com Geraldo Alckmin (PSDB).

Nesses cenários simulados pela pesquisa, Bolsonaro aparece com 17% dos votos, enquanto Alckmin, Doria e Marina alcançariam 15% do total de votos.

Na sondagem de intenção de voto manifestada espontaneamente pelo entrevistado, Lula cresceu mesmo depois que o juiz Sérgio Moro pediu a condenação do ex-presidente no caso do tríplex de Guarujá. Em junho, antes da sentença, 40% dos entrevistados disseram que votariam no ex-presidente. No fim de julho, o percentual aumentou para 42%. Nesta quinta-feira, numa manobra vista pelos advogados de Lula como mais uma demonstração  de prática de lawfare (perseguição judicial com objetivos políticos), o juiz Moro determinou o “confisco” do apartamento. O imóvel pertence à OAS e está retido pela Caixa Federal em razão de dívidas judiciais da empreiteira.

Eu quero que eles saibam que nós vamos voltar“, afirmou Lula nesta quinta (3) em encontro com movimentos de moradia em São Paulo. “Quando eu digo ‘nós’, não é o Lula”, acrescentou, “é o povo trabalhador deste país.”

Para o diretor do Vox Populi, Marcos Coimbra, vários componentes da pesquisa podem explicar por que a decisão de Moro não afetou as intenções de voto positivas no ex-presidente. “Um deles, muito importante, é que, para 42% dos entrevistados, Moro não provou a culpa de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Para 32%, Moro provou e, outros, 27% não souberam ou não quiseram responder.”

No cenário em que os entrevistados não recebem cartela com nomes e citam espontaneamente em quem pretendem votar para presidente da República em 2018, o segundo colocado é Bolsonaro, com 8% das intenções de voto. Marina vem em terceiro, com 2%; com 1% dos votos aparecem Moro (sem partido), Ciro Gomes (PDT), Joaquim Barbosa (sem partido) e os tucanos Doria, Fernando Henrique Cardoso e Alckmin.

O senador mineiro e presidente afastado do PSDB, Aécio Neves, zerou novamente, como na pesquisa de junho. Aécio, um dos principais articuladores do impeachment de Dilma Rousseff sem crime de responsabilidade, é alvo de denúncias de corrupção feitas pela Procuradoria-Geral da República, que chegou a determinar seu afastamento do mandato no Senado.

Na pesquisa estimulada, Alckmin atinge 6% e Lula, 47%. Bolsonaro tem 13%, Marina, 7%, e Ciro, 3%. Quando o nome tucano na disputa é o de Doria, Lula tem 48% das intenções de voto, Bolsonaro, 13%, Marina, 8% e o prefeito de São Paulo empata com Ciro Gomes, com 4%.

“O pessimismo dos brasileiros com o momento econômico e político atual e o descrédito no governo Temer, aliados as lembranças de um passado recente de que a vida era melhor nos governos do PT, ajudam a explicar por que as intenções de voto no presidente Lula são as que mais crescem em todos os cenários da pesquisa”, analisa Coimbra.

Segundo Coimbra, outros dados da pesquisa CUT-Vox, ajudam a entender essa tese. Um deles é o aumento de 49% para 55%, entre junho e julho, do percentual de entrevistados que apontam Lula como o melhor presidente que o Brasil já teve – o outro nome lembrado é o de Fernando Henrique Cardoso, com 15%.

Além disso, 58% dos brasileiros consideram Lula um bom administrador, 65% dizem que ele é trabalhador e 61% afirmam que a vida melhorou nos 12 anos de governos do PT.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, ressalta que o pessimismo dos brasileiros com o governo Temer vem aumentando mês a mês por causa do desemprego recorde – mais de 13,5 milhões de trabalhadores estão desempregados – e das medidas de ataques a direitos e a programas sociais. Segundo a pesquisa, com Temer, a vida piorou para 61% dos entrevistados – em junho o percentual era de 52%.

Aumentou também o pessimismo e a descrença na capacidade de Temer de controlar a inflação – em junho, 62% achavam que a inflação vai aumentar. Em julho, esse percentual pulou para 75%. Cresceu também o percentual dos que acham que vai aumentar o desemprego no Brasil – de 68% para 72%.

“O povo quer votar em quem tem compromisso com a classe trabalhadora tanto para voltar a ter uma vida melhor, quanto para reverter as medidas que Temer tomou para acabar com a CLT e a aposentadoria, entre tantas outras desgraças desta gestão golpista”, afirma Vagner.

A pesquisa CUT/Vox Populi, realizada de 29 a 31 de julho, entrevistou 1.999 pessoas com mais de 16 anos, em 118 municípios, em áreas urbanas e rurais de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior. A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

Confira a íntegra da pesquisa:

CUT/Vox Agosto: Eleições – Lula – Vida by redebrasilatual on Scribd

 

6 ideias sobre “Nota falsa

  1. Sergio Silvestre

    Que é que o brasileiro espoliado a trocentos anos tem com isso,os crentes se dizem escolhidos por Deus mas falam no capeta a cada minuto.

  2. jose

    O dono do Vox Populi é um cidadão chamado Marcos Coimbra.
    Se você não ligou o nome à pessoa, Marcos é colunista da Carta Capital, revista acusada na Lava Jato de receber mais de R$ 8 milhões da Odebrecht para favorecer Lula junto à opinião pública.
    Seu instituto foi alvo de busca e apreensão na sexta fase da Operação Acrônimo, acusado de intermediar repasses da empreiteira JHSF para a campanha do petista Fernando Pimentel ao governo de Minas.
    Também está no radar da Lava Jato, acusado de ter recebido clandestinamente R$ 10 milhões da Andrade Gutierrez S.A. para comprar “pesquisas” para a campanha de Dilma Rousseff.
    É esse cidadão – sociólogo, militante, historicamente comprometido com uma identidade político-partidária, dono de um “instituto de pesquisa” investigado pela Polícia Federal – que hoje utiliza sua empresa para divulgar uma “pesquisa eleitoral” que decreta a vitória de Lula em 2018 no primeiro turno.
    Sim, o mesmo Lula com 57% de rejeição nos demais intitutos de pesquisa.
    O mesmo Lula que há meros seis meses literalmente não conseguiu eleger nem o próprio filho vereador em São Bernardo do Campo.
    O mesmo Lula que na última eleição viu o seu partido perder seis de cada dez votos que recebeu na eleição anterior, angariando menos apoio ao redor do país que o PTB de Roberto Jefferson.
    A pesquisa foi amplamente difundida nessa manhã por sites como Brasil 247 e Rede Brasil Atual, ambos investigados pela Lava Jato.
    E o nome que se dá a isso, você já ouviu certamente outras vezes: manipulação de massa.
    A receita é simples, fácil de realizar. Cria-se uma “revista”, um “instituto de pesquisa” e “blogs independentes” que possam replicar o discurso oficial de um partido político, capaz de influenciar diretamente a construção argumentativa de seus militantes, que por sua vez repassam esse conteúdo adiante para seus amigos e familiares.
    E o discurso agora é: Lula preso será um golpe contra as eleições de 2018. “Imprensa”, “institutos de pesquisa” e “formadores de opinião” confirmam isso. Dureza, não?
    Sabe o pior? No país da malandragem, não falta otário para cair nesse esquema ponzi de falsificação da opinião pública.
    - Rodrigo da Silva, editor do Spotniks

  3. jose

    Tem mais:
    “A PF indiciou o dono do Vox Populi, Marcos Coimbra, na operação Acrônimo. O instituto de pesquisa é suspeito de simular um contrato para receber 750 000 reais da campanha de Fernando Pimentel em caixa dois. As informações são de Maurício Lima na Veja.”

  4. Sergio Silvestre

    Engraçadp que o IBOPE não é investigado,nunca recebeu dinheiro de políticos e nunca vendeu pesquisa,são todos uns samaritanos,eles ajudam o próximo,mas vamos rememorizar a campanha de 2014,IBOPE,AECIO 54% DILMA 46% DATA FOLHA AÉCIO 52%DILMA 48% VOX POPULIS DILMA 53% AÉCIO 47% E ELES VENDEM PESQUISA.

  5. Zé Ninguém

    Acreditar neste instituto de pesquisa é o mesmo que levar a sério o Ibope e os noticiários da Poderosa que, de verdade nada tem. Mas felizmente temos milhões de almas parvas entre nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>