15:05Não Bata a Cabeça à Toa

Do jeito que veio:

16ª edição da Festa Não Bata a Cabeça à Toa

Acontece no próximo dia 17, a partir das 11h, no Terreiro Pai Maneco, a tradicional festa “Não Bata a Cabeça à Toa”. O evento visa mostrar várias formas de manifestações culturais brasileiras.

“A Umbanda é brasileira e reflete os negros, índios e brancos, então nos preocupamos em valorizar e incentivar a produção e divulgação da arte ligada a esses povos. Acreditamos que a cultura de um povo está traduzida no modo como se liga com Deus, e que a cultura popular está em todas as religiões”, diz a Mãe Lucília de Iemanjá.

A Engoma do TPM abre a festa, que terá também como atrações ensaios de escola de samba, teatro infantil, palestra, lançamento de livro, bloco de Carnaval, entre outras atrações.

Umas das atrações da casa é a apresentação do Brincantes Sete Ponteiras do Mar, grupo de ritmos brasileiros, que oferece aulas gratuitas, no Terreiro Pai Maneco. O grupo, que tem 40 integrantes e é coordenado pelo professor Pedro Solak, tem como objetivo a pesquisa de diversos ritmos brasileiros como o Maracatu de Baque Virado, Afoxé, Coco de Roda, Jongo e Ciranda.

A apresentação de fora mais esperada é o ensaio aberto do maior bloco de Carnaval de Curitiba, o Garibaldis & Sacis, que se apresenta às 18h15, logo após o Brincantes Sete Ponteiras do Mar.

A palestra, que acontece às 15h30, “Caridade: Amor e Perversão”, é baseada no livro de Alexandre Cumino e Rodrigo Queiroz. A obra é o resultado da inquietação de dois sacerdotes de Umbanda ao perceber que o conceito de caridade trazido de outras vertentes religiosas para o ambiente de terreiro é, senão, uma venda de indulgência moderna. Fora de seu sentido apurado a caridade se torna moeda de troca, onde o ser mais caridoso é também o mais evoluído espiritualmente. Na Umbanda, o papel de executor da caridade ficará a encargo do médium que acredita ser esse agente “permitindo” a evolução dos guias por meio do trabalho mediúnico. Ao tocar nessa ferida, a obra passa a questionar a distorção de sentido da ação caritativa, mostrando que isso se faz de forma perversa, onde nesse contexto sistematizado a caridade sempre acontece para que alguém alcance algo. Num diálogo rico em historicidade e costurado em reflexões éticas, Pai Alexandre Cumino e Pai Rodrigo Queiroz presenteiam o debate consciencial da religião em sociedade, discutindo sobre amor, ágape, e valores cristãos. Estes devem nortear o que eles acreditam ser “a manifestação do espírito para a prática do amor divino.

A gastronomia também está especial nessa edição. Além dos tradicionais sanduíches de pernil, espetinhos, empadões de palmito e de frango, crepes palito, doces, refrigerantes, mate e cervejas (comerciais e artesanais), terá também um foodtruck de hambúrguer.

Programação Completa:

12h30 – Engoma do TPM
13h15 – Os Encantados
14h – Teatro infantil
14h45 – Lançamento do livro “Vida mística de Eugênia” de Kátia Nascimento 15h – Grupo vocal “Café no Canto”, regido por Suzie Franco
15h15 Orquestra de berimbau
15h30 – palestra “Caridade: Amor e Perversão” – Alexandre Cumino e Rodrigo Queiroz
17h30 – Brincantes Sete Ponteiras do Mar
18h15 – Ensaio aberto Bloco Garibaldis & Sacis
19h – Bateria da escola de Samba Realeza
19h30 SambôSambá (samba de terreiro)

SERVIÇO:
Não Bata a Cabeça à Toa
Dia 17 a partir das 11h
Estrada Nova de Colombo, 5.487
Entrada franca
Informações: 3357 1917

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>