12:26Mais dois conselhos

Mais dois conselhos do pai do João Ubaldo Ribeiro:

3. NÃO SEJA CALADO

Seja calado só por educação, até o ponto em que isto não prejudicar. Se prejudicar, só cale a boca quando deixar de prejudicar. Não seja insolente e não tolere a insolência.

4. NÃO SEJA IGNORANTE

Não ser igonorante é um dos mais sagrados direitos que você tem e, se você não usa voluntariamente esse direito, merece tudo o que de adverso lhe acontece. Se você sabe fazer bem o seu trabalho e conduzir corretamente sua vida, você não é ignorante. Mas, se recusar todas as oportunidades possíveis para aprender, você é. Se lhe negam o direito de não ser ignorante, você tem o direito de se rebelar contra qualquer autoridade.

Uma ideia sobre “Mais dois conselhos

  1. Tô de Olho....

    IV – NÃO SEJA IGNORANTE

    A economia ia muito mal em 2002, e os responsáveis (PSDB e PFL à frente) pagaram pela incompetência e males de toda ordem que atingiram os brasileiros, especialmente os mais pobres, já que comandavam um verdadeiro genocídio, o povo elegendo Lula, apesar de todo esforço da mídia DA MÍDIA GOLPISTA QUE ERA CONTRA O LULA.

    A competência de Lula e de seu governo, alterando prioridades e os rumos da economia, onde o país passou a dar toda a atenção para minorar os problemas dos mais pobres, no sentido de lhes dar maior segurança alimentar e emprego, apesar dos escândalos amplificados pela mídia e de todos seus eforços , a oposição volta a ser derrotada em 2006.

    Agora, em 2010, só não via quem não queria: a oposição será novamente derrotada, e as pesquisas indicam que será no primeiro turno, apesar de todos os esforços da mídia e de seus golpes baixos e desonestos, já que maturados muitos projetos do governo Lula, e escassas as fontes de escândalos, porque os órgãos controladores e fiscalizadores passaram a atuar com rigor e apoio governamental, tendo estreitado, e muito, a margem de a mídia criar ou garimpar fatos para atingir a candidata do PT, que promete dar continuidade às políticas exitosas do governo Lula, concluindo projetos, ampliando a rede de proteção social da população, aumentado essas ações, com novos projetos, onde se destacam o pré-sal e o “Minha casa minha vida”, que criarão milhões de empregos.

    Agora, creio que não dá para afirmar, ou esperar que o brasileiro haja se conscientizado de que as ações antidemocráticas da mídia associada aos partidos conservadores (PSDB, DEM, ex-PFL e PPS) e a extrema-direita, a maioria sabidamente golpista estejam na raíz de todos os problemas enfrentados em todo o século vinte, forças que lutam de todas as formas (legais e ilegais, sujas ou não) para voltarem ao poder.

    Somente um revés econômico, que espero demorar (essas são as perspectivas), com seus reflexos políticos de mudança, já que certamente a oposição acordará para o seu principal erro de ter frágeis raízes junto ao povo, fiando-se apenas no pretenso poder da mídia, e tentará criar musculatura para o enfrentamento.

    Quanto a mídia, a espectativa é que grande parte passe a ficar mais branda, num efeito camaleônico, tentando evitar os rigores de uma legislação que está mais do que claro será necessária para impedir que atuem como partido auxiliar de linhas políticas, sem que se saiba exatamente de onde partem, nem quem sejam seus financiadores e beneficiários, que certamente não é a maioria da população brasileira.

    A democracia e a república brasileiras necessitam de salvarguardas para que grupos minoritários, que nada tem a ver com o nosso povo possa tentar assaltar o poder com apoio da mídia.

    Quem quer o poder numa democracia ( e é bom ter uma oposição que procure o poder) tem que representar a maioria do povo, a quem se deve recorrer.

    É um engano, ledo engano, julgar que a mídia tenha fortes ligações com o povo, e que o influencia a ponto de direcionar suas atitudes, apesar de seus interesses. As três quedas em menos de dez anos mostram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>