11:45Luz e terror nas universidades

O sistema Meta-4, que coloca luz em todos os órgãos do governo mostrando quanto ganham os funcionários, é obrigatório para as universidades estaduais desde 2012. Elas levantaram barricadas para defender os próprios interesses. Nesta batalha, agora restam duas, as de Londrina e Maringá, que usam o escudo da “autonomia” para dizer não. Naquele ano, por coincidência, 26 funcionários da UEL foram demitidos porque foram descobertos com diplomas universitários falsos – o que permitia sua escalada no quadro e, claro, mais salários. Há mais situações assim? Há algum tempo um amigo do blog foi visitar uma reitora e, na sala de espera, descobriu que a secretária tinha um cargo em comissão e fora indicada por André Vargas, este que está na cadeia. As eleições para reitor, democráticas, são financiadas pelos donos das cantinas e por quem explora as centrais de xerox. O mundo acadêmico, como dá para imaginar, pode ser, sim, um microcosmo do que acontece de pior no país. Talvez seja por isso que a luz da transparência seja apavorante no campus.

3 ideias sobre “Luz e terror nas universidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>