7:53Lula tenta a velha mágica do medo da rua

por Elio Gaspari

Desde que entrou na política Lula mostrou-se um hábil manipulador do medo que o andar de cima tem da rua. Ele põe sua gente na praça, estimula bandeiras radicais e se oferece como pacificador. Quando os radicais passam a incomodá-lo, afasta-se deles. Essa mágica funcionou durante mais de 30 anos, mas mostrou sinais de esgotamento a partir de 2015, quando milhões de pessoas foram para a rua gritando “Fora PT”. Ele quis reagir mobilizando o que supunha ser seu povo, mas faltou plateia.

Agora o mágico reapresentou o truque. Ele informa que não tem “razão para respeitar” a decisão do TRF-4. Sabe-se lá o que isso quer dizer. Se é uma zanga pessoal, tudo bem. Pode ser bravata, pois ele cancelou a viagem à Etiópia e entregou o passaporte à polícia. Isso é coisa de quem respeita juízes.

Enquanto Lula é vago em suas ameaças, João Pedro Stedile, do MST, é mais direto : “Aqui vai o recado para a dona Polícia Federal e para a Justiça: não pensem que vocês mandam no país. Nós, dos movimentos populares, não aceitaremos de forma nenhuma que o nosso companheiro Lula seja preso”. A ver.

Em 2015, Lula defendia a permanência de Dilma Rousseff dizendo que era um homem da paz e da democracia, mas “também sabemos brigar, sobretudo quando o Stedile colocar o exército dele nas ruas”. Viu-se que o temível exército de Stedile não existia. Na parolagem catastrófica da época, o presidente da CUT, Vagner Freitas, dizia que “se esse golpe passar, não haverá mais paz no país”. Houve. (A CUT remunerava seus manifestantes. Um deles, imigrante da Guiné, tinha o boné da central, mas não falava português. Estava na avenida Paulista porque recebera R$ 30.)

Nas recentes manifestações dos trabalhadores sem teto em São Paulo, a via Dutra e a marginal Pinheiros foram bloqueadas com o incêndio de pneus. Eram mais de 50 pneus em cada bloqueio. Ganha um fim de semana em Pyongyang quem souber como se conseguem 50 pneus sem uma infraestrutura militante e incendiária.

O truque é velho, mas, desta vez, apareceram dois personagens surpreendentes. Primeiro veio Gleisi Hoffmann, presidente do PT: “Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar. Na quarta-feira, diante da condenação de Lula, ela avisou: “A partir deste momento, é radicalização da luta”.

Gleisi Hoffmann não é uma liderança descartável. Foi Lula quem a colocou na cadeira. Admita-se que ela exagerou na primeira frase e foi genérica na segunda. É nessa hora que entra o comissário Luiz Marinho: “Se condenarem o Lula vão apagar fogo com gasolina. Depois, arquem com as consequências. A toda ação corresponde uma reação. Nós não estamos falando em pegar em armas, mas não vamos aceitar uma prisão para tirar Lula da disputa”.

Marinho é o herdeiro presuntivo de Lula e candidato ao governo de São Paulo. Presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a CUT. Foi ministro da Previdência e defendeu correções nos benefícios de aposentados e pensionistas. Confrontado com uma manifestação que lhe bloqueava o caminho, o motorista do seu carro oficial avançou e feriu três manifestantes. Dias depois, o ministro comentou o episódio: “O pessoal veio agredir o carro”. Em 2008 Marinho elegeu-se prefeito de São Bernardo com uma campanha de barão, orçada em R$ 15 milhões. É um dos comissários petistas que podem ser encontrados com frequência na copa ou na cozinha de Lula. Antes do julgamento, no entristecido café da manhã de Lula com sua família, só havia dois amigos: Marinho e o advogado Roberto Teixeira.

Os sinais dados por Marinho e Gleisi indicam que há um flerte de Lula com os radicais que bloqueiam a Dutra com 50 pneus. Esse poderá ser mais um dos seus erros num processo que começou há muito tempo, quando ele decidiu alisar o pelo de petistas corruptos. Desta vez, tentando se colocar como vítima de um pacto sinistro, Lula queima o filme do coitadinho, inocente e perseguido. Alguns dirigentes petistas já compreenderam o risco e trabalham para aquietar o “Momento Nero” de Lula, até porque esse é um Nero de baile de Carnaval.

Bola fora

O Coletivo das Entidades Negras diz que “a elite que condenou Lula é a mesma que vendia escravos”. Pode ser, mas o juiz de Curitiba chama-se Moro e os três desembargadores de Porto Alegre chamam-se Gebran, Laus e Paulsen. Todos descendentes de imigrantes que nada tiveram a ver com a escravidão e ralaram para comer.

*

Lula Tiririca

Uma alma malvada construiu uma cenário catastrófico caso, por obra da Justiça e de Asmodeu, a fotografia de Lula, mesmo impugnado, estiver na urna da eleição de 7 de outubro:

“Com os candidatos que estão aí, corre-se o risco de Lula receber os votos de seus admiradores e de todos aqueles que resolvam protestar contra o sistema político-partidário nacional. Ele viraria um super-Tiririca.”

Na mosca

Merval Pereira disse tudo: “Lula está mais próximo da cadeia do que do Palácio do Planalto”.

2 ideias sobre “Lula tenta a velha mágica do medo da rua

  1. Sergio Silvestre

    Pois é,a frase nós matamos ele,atribuída ao Aécio em relação ao primo Fred não fez sucesso na mídia como vai morrer gente.
    A distorção da mídia é tanta que eu nunca vi no JN nos tempos da Dilma uma reportagem da transposição do São Francisco e depois do Golpe o Temer até inaugurou a obra mostrada a cores pela tv.
    Quando se fala em imigrantes ,esses desembargadores tem a ideologia sulista de não gostar de nordestinos,até por que se eles fossem concorrer com cearenses por exemplo ,hoje esses três desembargadores estariam carpindo café ou podando uva na Serra gaucha.
    Acompanho a politica e a justiça pífia do Pais a meio seculo,desde criança,o custo beneficio dessas instituições tem como soma e resultado o atraso do Pais,um protegendo o outro e quando alguem passa pela cerca que fere seus intentos ,todos se voltam contra esse líder ou poder para aniquila-lo.
    A PF e a justiça querem que continue como está a primeira com seus esquemas em aduanas,com helicópteros cheios de drogas sobrevoando aeroportos feitos em fazendas com dinheiro publico,encobrindo mazelas dos seus preferidos.
    A justiça pior ainda,se aproveita dos bandoleiros da politica para achacá-los,por meio de ganhos escusos acima do teto que são um assalto ao erário por aqueles que deveriam cumprir a lei.
    Assim segue o barco,os donos de redes de TV são na maioria bilionários,os donos de igrejas idem e os políticos hoje são donos de tudo que se produz no Brasil,inclusive é despejado por ano 250 bilhões em corrupção,que se transformam em shoppings,redes de lojas,farmácias,frigoríficos etc, e quando o dono da HAVAN soltou fogos na condenação do Lula da para perceber que ele estava contente pelos seus patrões que continuam impunes.

  2. Jorge

    Um,a coisa reconheço: O canalha corrupto SS é combativo.
    Mente descaradamente. O que impressiona é que parece ter inteligência e cultura suficientes para identificar a canalha PTófila.
    Porque ficaria no lado que tá? paixão por algum petista?
    sobre a transposição, muito antes de levar água para o nordeste levou dinheiro pra quadrilha do Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>